Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – Os desafios para Portugal do alargamento da União Europeia e as regiões portuguesas no contexto das políticas da União Europeia

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 5 – A integração de Portugal na União Europeia: novos desafios, novas oportunidades; Subtema: Os desafios para Portugal do alargamento da União Europeia e as regiões portuguesas no contexto das políticas
da União Europeia.

Conceitos: desenvolvimento inteligente, sustentável e inclusivo, indicadores de coesão territorial, Objetivos de
Desenvolvimento Sustentável (ODS).

1. Lê e comenta a seguinte afirmação.

Portugal é o terceiro país da UE com maior percentagem de trabalhadores acima dos 64 anos.

Estudo da Pordata para assinalar o Dia do Trabalhador mostra que Portugal está apenas atrás na Estónia e da Irlanda no que toca à taxa de actividade entre pessoas com 65 anos ou mais. Taxas de desemprego são inferiores à média da União Europeia, excepto nos grupos etários dos mais jovens e dos mais velhos.

No âmbito do 1.º de Maio, a Pordata, projecto da Fundação Manuel dos Santos, reuniu um conjunto de dados estatísticos sobre o mercado de trabalho, e realça que Portugal “é o terceiro país com maior taxa de actividade entre pessoas com 65 ou mais anos”, com 11,7%, a seguir à Estónia e Irlanda. Comparando com a média dos 27 países da União Europeia (UE27), onde a taxa de actividade nos maiores de 64 anos é de 5,7%, Portugal regista assim o dobro.

Os dados da Pordata indicam ainda que, em 2019, 11% da população empregada em Portugal era considerada pobre, ou seja, vivia com rendimentos inferiores ao limiar de risco de pobreza, encontrando-se o país entre os cinco (Roménia, Espanha, Luxemburgo e Itália) com maior risco de pobreza entre trabalhadores.

Portugal é também um dos seis países com menor produtividade, ou seja, que gera menos riqueza por hora de trabalho (65% da média da UE27), sendo Bulgária, Grécia e Letónia os “menos produtivos”, ao passo que Irlanda, Luxemburgo e Dinamarca encabeçam a lista dos que geram mais riqueza por hora trabalhada.

Quanto à escolaridade, quase metade dos empregadores em Portugal têm, no máximo, o ensino básico (46%), uma percentagem superior em 29 pontos percentuais à média da UE27 (17%). Por sua vez, enquanto 37% dos trabalhadores em Portugal têm, no máximo, o ensino básico, na EU27 esse valor é de 16%.

Fonte: Público, consultado a 2 de maio de 2021.

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – A revolução das telecomunicações e o seu impacto nas relações interterritoriais

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 4 – A população, como se movimenta e como comunica; Subtema: A revolução das telecomunicações e o seu impacto nas relações interterritoriais.

Conceitos: ciberespaço, globalização, telecomércio, teletrabalho, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), sociedade
digital, SIG, fluxos de informação, redes de comunicação.

1. Lê e comenta a seguinte afirmação.

Área Metropolitana de Lisboa contabiliza quase metade da população em teletrabalho do país

Apenas um terço da população passou a trabalhar de casa mas, entre a população empregada, foi nas regiões urbanas que mais se sentiu o impacto. O indicador está ligado à estrutura de atividade das várias regiões.

A Área Metropolitana de Lisboa (AML) – a segunda área mais populosa do país, depois do Norte – foi onde mais se passou a trabalhar de casa, entre abril e dezembro de 2020, com “48% da população empregada em teletrabalho” a nível nacional.
(…) As regiões que menos aderiram ao teletrabalho foram precisamente as estruturas mais assentes nos setores primário e secundário, como é o caso das regiões autónomas da Madeira e Açores, onde apenas 7,7% e 8,3% da população empregada passou a trabalhar de casa.

De um modo geral, só a AML se apresenta acima da média nacional, que é de 15,6% da população, mas 27,9% na AML. Em segundo lugar está, precisamente, o Norte, com 12,2% da população empregada em teletrabalho, o que corresponde a 27,9% da população nacional em teletrabalho.

O teletrabalho foi também mais predominante nas zonas urbanas, segundo o INE, o que dá força à ideia de que o indicador estará diretamente relacionado com as estruturas produtivas. Assim, “18,6% da população urbana empregada encontrava-se em regime de teletrabalho” entre abril e dezembro.

Já por setores, a atividade de informação e comunicações foi a que registou uma maior migração dos postos de trabalho, com 66,9% dos empregados a passarem a trabalhar a partir de casa, seguida das atividades financeiras e de seguros, com 47,6%.

Já as atividades relacionadas com a agricultura, construção e comércio registaram os piores resultados, com valores perto do zero, 4,4% e 7,4%, respetivamente.

Fonte: Adaptado Jornal de Negócios, consultado a 2 de maio de 2021.

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – A diversidade de modos de transporte e a desigualdade espacial das redes

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 4 – A população, como se movimenta e como comunica; Subtema: A diversidade de modos de transporte e a desigualdade espacial das redes.

Conceitos: distância-custo, distância relativa, distância-tempo, difusão espacial, efeito barreira, fluxo de informação, hub, interface/ plataforma multimodal, isócrona, isótima, logística, modo de transporte, meio de transporte, redes de transporte,
transhipment, transporte multimodal, Rede Transeuropeia de Energia (RTE), Rede Transeuropeia de Transportes (RTT).

1. Lê e comenta a seguinte notícia.

Linha da Beira Baixa Guarda – Covilhã reabre hoje, 12 anos após encerramento

O troço ferroviário da Linha da Beira Baixa entre as cidades da Guarda e da Covilhã, que estava fechado desde 2009, reabre este domingo ao serviço comercial após obras de requalificação e de eletrificação.
(…) hoje neste troço da Linha da Beira Baixa, tem paragem em todas as estações e apeadeiros localizados no troço Covilhã – Guarda (Caria, Belmonte/Manteigas, Maçainhas, Benespera e Barracão/Sabugal).
(…)Com a renovação do troço da Linha da Beira Baixa Covilhã – Guarda, a partir de hoje, 2 de maio, passa a existir uma “oferta integrada” dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Alta, segundo a CP.
(…) Com a renovação do troço da Linha da Beira Baixa Covilhã – Guarda, a partir de hoje, 2 de maio, passa a existir uma “oferta integrada” dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Alta, segundo a CP.(…)

Fonte: Adaptado O Jornal Económico, consultado a 2 de maio de 2021.

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – A rede urbana e as relações campo-cidade

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 3 – Os espaços organizados pela população; Subtema: A rede urbana e as relações campo-cidade.
Conceitos: aglomeração urbana, área de influência ou hinterland, bipolarização urbana, policentrismo, centralidade, coesão
territorial, complementaridade, cooperação territorial, descentralização, desconcentração, deseconomia de aglomeração,
economia de aglomeração, lugar central, macrocefalia, rede urbana, arco metropolitano, sistema urbano.

1. Lê e comenta a seguinte notícia.

Cinco municípios do Médio Tejo assinaram acordo de cooperação para a criação de uma rede de espaços de “coworking”.

Esta sexta-feira, dia 30 de abril, no Cine Teatro de Vouzela, as autarquias de Abrantes, Mação, Ourém, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha assinaram um acordo de cooperação para a criação de uma rede de espaços de coworking. O protocolo foi assinado entre a CIM do Médio Tejo e as 5 câmaras municipais referidas, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) e o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Estes espaços de coworking, previstos no Programa de Estabilização Económica e Social (PEES) “vêm contribuir para a dinamização dos territórios do Interior, facilitando a fixação e atração de pessoas e empresas , diminuindo a necessidade de deslocações e a consequente pegada carbónica, melhorando a qualidade de vida das populações do Interior, promovendo a conciliação entre a vida familiar e a vida profissional”, como foi já referido em comunicado pelos ministérios da Coesão Territorial, Solidariedade e Segurança Nacional.

As câmaras municipais ficarão responsáveis pela divulgação deste espaços, disponibilizando fotografias ou vídeos para permitir a realização de visitas virtuais por parte de eventuais interessados, e fornecendo informação relativa às características do espaço, condições de utilização, calendário anual, horário de utilização e custo associado.

Fonte: Adaptado Entroncamento Online, consultado a 2 de maio de 2021.

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – As áreas urbanas: dinâmicas internas

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 3 – Os espaços organizados pela população; Subtema: As áreas urbanas: dinâmicas internas.
Conceitos: acessibilidade, área funcional, área metropolitana, CBD/Baixa ou centro da cidade, centro urbano/cidade,
diferenciação funcional, diferenciação social, espaço urbano, expansão urbana, fator de localização industrial, função
rara/vulgar, função urbana, gentrificação ou nobilitação urbana, malha urbana, movimento pendular, POLIS, planos
municipais de ordenamento do território (Plano Diretor Municipal, Plano de Urbanização, Plano de Pormenor),
periurbanização, população urbana, reabilitação urbana, requalificação urbana, renda locativa, renovação urbana,
rurbanização, suburbanização, taxa de urbanização, pressão urbanística.

1. Lê e comenta a seguinte afirmação.

Portugal é dos países da UE que vão perder mais população até 2050.

Em Portugal, apenas o Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa deverão assistir a um crescimento populacional. Dois terços da regiões da UE vão assistir a uma redução populacional em 2050 face a 2019.

(…) Segundo o gabinete estatístico europeu (Eurostat), “outros países com uma grande maioria de regiões com uma redução populacional projetada são a República Checa, Grécia, Croácia, Hungria, Polónia, Portugal e Finlândia”. Em Portugal, somente o Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa deverão assistir a um crescimento populacional.

(…) Em todas as regiões portuguesas, a idade média vai aumentar nos próximos anos, sendo os casos mais graves os das regiões de Beiras e Serra da Estrela (média de 56,5 anos) e Douro (55,7). Apenas o Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa terão idades médias inferiores a 50 anos, apesar do aumento também verificado.

Fonte: Adaptado Eco Online, consultado a 2 de maio de 2021.

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – Os espaços rurais em mudança

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 3 – Os espaços organizados pela população; Subtema: Os espaços rurais em mudança.
Conceitos: desenvolvimento sustentável, emparcelamento, espaço rural, estrutura agrária, estrutura fundiária, indústria
agroalimentar, Política Agrícola Comum (PAC), paisagem agrária, património cultural paisagístico, pluriatividade,
produtividade agrícola, região agrária, Superfície Agrícola Utilizada (SAU), Turismo em Espaço Rural (TER), tipos de
agricultura.

1. Analisa o seguinte quadro e comenta.

Superfície agrícola utilizada (SAU): constituída pelas terras aráveis (limpa e sob-coberto de matas e florestas), culturas permanentes, pastagens permanentes e horta familiar.

Explorações agrícolas: aumentou a dimensão, diminuiu o abandono da atividade e registou-se um crescimento da SAU.

Número de explorações, SAU e dimensão média, por Região Agrária (variação 1999-2019).

Fonte: Recenseamento Agrícola 2019 – INE, consultado a 2 de maio de 2021.

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – Os recursos marítimos

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 2 – Os recursos naturais de que a população dispõe: usos, limites e potencialidades
Subtema: Os recursos marítimos:

Conceitos: águas interiores, águas territoriais, zona contígua, Zona Económica Exclusiva (ZEE), erosão marinha, abrasão marinha, plataforma continental, talude continental, formas de relevo do litoral e fluvio-marinhas (arriba, praia, ilha barreira, sistema lagunar, tômbolo, estuário), corrente marítima, deriva Norte-Sul, energia dos oceanos, maré negra, nortada, recurso piscícola, tipos de pesca, quotas de pesca, upwelling, aquicultura, ordenamento da orla costeira.

1. Lê e comenta a seguinte afirmação.

“Portugal é o terceiro país europeu e o 12.º no mundo que mais captura tubarão e raia, cerca de 1,5 milhões de exemplares por ano, sendo que metade das espécies estão ameaçadas, alerta a associação ambientalista ANP/WWF.
A propósito dos resultados a ANP/WWF apela à criação de um plano de ação nacional para a gestão e conservação de tubarões e raias, que coloque Portugal na liderança europeia da proteção destas espécies, diz em comunicado. Segundo a análise, “a sobrepesca e uma proteção inadequada estão a ameaçar as 117 espécies de tubarões, raias e quimeras (peixes cartilagíneos) existentes no mar português, apesar destas espécies-chave serem essenciais à saúde e bem-estar do oceano”.”

Fonte: Observador, consultado a 11 de abril de 2021

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – Os recursos hídricos

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 2 – Os recursos naturais de que a população dispõe: usos, limites e potencialidades
Subtema: Os recursos hídricos:

Conceitos: massa de ar, isóbara, depressão barométrica, anticiclone, situação meteorológica, relevo concordante/discordante, barreira de
condensação, isoieta, precipitação convectiva, precipitação frontal, precipitação orográfica, superfície frontal polar, período seco estival, balanço hídrico, evapotranspiração (potencial e real), recurso hídrico, rede hidrográfica, bacia hidrográfica, escorrência, infiltração, toalha freática, permeabilidade, aquífero, produtividade aquífera, água residual, água subterrânea, água superficial, caudal, regime fluvial, disponibilidade hídrica, albufeira, barragem, barragem de retenção versus barragem de produção, efluente, eutrofização, salinização.

1. Lê e comenta a seguinte afirmação.

“Relatório pede colaboração Portugal-Espanha na gestão de rios cada vez mais secos.
A World Wide Fund for Nature (ANP/WWF) aponta o aumento do uso de recursos em Portugal, como a irrigação intensiva a partir da barragem de Alqueva, e em Espanha, em Campo de Cartagena, como provas do “colapso provável da biodiversidade e a diminuição da segurança para a natureza e para as pessoas”.
A ANP/WWF considera essencial que quem consome mais água pague mais por ela, defendendo que o Governo português aplique tarifas progressivas à exploração de água de furos na costa sul algarvia e que o executivo espanhol faça o mesmo nos aquíferos alimentados pelos rios Guadiana e Doñana.
Defende também que haja uma revisão dos caudais acordados nos rios internacionais pela Convenção de Albufeira e que se antecipem eventos meteorológicos extremos na gestão das bacias hidrográficas, prevendo-se as circunstâncias em que é preciso armazenar para as secas ou garantir fluxos mínimos para limitar os impactos nos cursos de água.”

Fonte: Rádio Renascença, consultado a 11 de abril de 2021.

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – A radiação solar

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 2 – Os recursos naturais de que a população dispõe: usos, limites e potencialidades
Subtema: A radiação solar:

Conceitos: energia solar, radiação solar, equilíbrio térmico, efeito de estufa, insolação, albedo, temperatura média, isotérmica, amplitude
térmica, regime térmico, encosta soalheira, encosta umbria, turismo balnear.

Exemplo de Exercício:

1. Lê e comenta a seguinte afirmação.

“O Concelho de Alcoutim, no Algarve, foi o local escolhido para a construção do primeiro grande projeto de energia solar fotovoltaica em Portugal da Galp.
Serão construídas quatro centrais fotovoltaicas numa área de 250 hectares, com uma potência total prevista de 144 megawatts. A capacidade de produção anual estimada é de 250 mil megawatt/hora de energia elétrica, o suficiente para abastecer mais de 80 mil famílias e evitar a emissão de 75 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano.”

Fonte: GreenSavers, consultado a 11 de abril de 2021

Geografia – Exercício de preparação para o Exame Nacional (Aprendizagens Essenciais) – Os recursos do subsolo

Sugestão de preparação para o Exame Nacional de Geografia.

Ler e definir os seguintes conceitos do Tema 2 – Os recursos naturais de que a população dispõe: usos, limites e potencialidades
Subtema: Os recursos do subsolo:

Conceitos: jazida, unidade geomorfológica, água mineral, água termal, recurso não renovável, recurso renovável, combustível fóssil, energia fóssil, energia renovável (geotérmica, hídrica, eólica, biomassa, etanol, biodiesel, etc.), energia hidroelétrica, energia termoelétrica, mineral energético, mineral metálico, mineral não metálico, rochas industriais, rochas ornamentais, turismo termal.

Exemplo de Exercício:

1. Lê e comenta a seguinte afirmação.

(…)setor das rochas ornamentais(…) um negócio que responde por um volume de negócios da ordem dos mil milhões de euros anuais, com mais de 400 milhões a serem gerados nos mercados externos. Portugal é o 8º maior exportador do mundo de um recurso que se pode encontrar em quase todo o território nacional e que assegura cerca de 13 mil empregos agregados a 2100 empresas.
(…)A importância das exportações numa economia pequena como a portuguesa estende-se naturalmente ao setor das rochas ornamentais. Com um cariz exportador na sua génese, esta atividade entendeu a relevância da comunicação num mundo globalizado e concorrencial para marcar a sua posição.
(…)A importância das exportações numa economia pequena como a portuguesa estende-se naturalmente ao setor das rochas ornamentais. Com um cariz exportador na sua génese, esta atividade entendeu a relevância da comunicação num mundo globalizado e concorrencial para marcar a sua posição.

Fonte: Dinheiro Vivo, consultado a 11 de abril de 2021.