Filosofia 11.º Ano – Descartes: Objeções ao Fundacionalismo Cartesiano

Descrição e Interpretação da Atividade Cognoscitiva
– O racionalismo de René Descartes
» Objeções ao Fundacionalismo Cartesiano

Eu penso, ou há pensamento em curso
Se prestarmos a devida atenção ao cogito, apercebemo-nos de que a sua certeza é momentânea, ou seja, neste momento estou a pensar e existo, mas se deixar de pensar, posso muito bem deixar de existir.
O cogito dificilmente será verdadeiro, isto é, dificilmente a consciência de que existe pensamento seria suficiente para provar a existência de um único eu.

Objeções ao dualismo cartesiano
Falácia do Mascarado, não permite demonstrar a separação mente-corpo.

Objeções ao Argumento da Marca
Perfeição de Deus desafia a nossa compreensão.
• Mas porque razão não podemos considerar que duvidar é mais perfeito do que possuir a totalidade do conhecimento?
• O argumento apoia-se no princípio da causalidade e na ideia de que a uma causa deve ter pelo menos tanta realidade e ser tão perfeita quanto os seus efeitos. No entanto, Descartes não tem maneira de saber se estas ideias são verdadeiras.

O Círculo Cartesiano
• Esta objeção consiste na acusação de que Descartes incorre numa petição de princípio, pois recorre ao seu raciocínio para estabelecer a existência de Deus e recorre a Deus para justificar a confiança nas suas capacidades racionais; contudo, este movimento é circular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *