Filosofia 11.º Ano – Descartes – Razões para duvidar: Vigília-Sono

– Descrição e interpretação da atividade cognoscitiva
• O racionalismo de René Descartes
» Vigília-Sono

– Não podemos distinguir por nenhum sinal seguro as experiências que temos durante os sonhos daquelas que temos durante o estado de vigília.
– Se não podemos distinguir por nenhum sinal seguro as experiências que temos durante os sonhos daquelas que temos o estado de vigília, então as crenças que formamos a partir da experiência sensível ou falsas (porque estamos apenas a sonhar) ou, ainda que sejam verdadeiras, são-no apenas por acaso (porque não podemos saber se estamos apenas a sonhar ou não).
– Se as crenças que formamos a partir da experiência sensível ou são falsas ou, ainda que sejam verdadeiras, são-no apenas por acaso, então não podem constituir conhecimento.
– Logo, as crenças que formamos a partir da experiência sensível não podem constituir conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *