Geografia 11.º Ano – Rede Ferroviária Nacional

– A população, como se movimenta e comunica
• Rede Ferroviária Nacional

– Rede Ferroviária Nacional
• Durante as últimas décadas, a rede ferroviária registou um grande declínio devido à falta de investimento. Como consequência, o serviço ferroviário perdeu alguma qualidade, relativamente ao tempo de deslocação, comodidade e segurança.
Nos últimos anos foi feito um investimento com o intuito de melhorar as linhas, os serviços de passageiros, os serviços de mercadorias e um reforço em infraestruturas.

O Plano de Investimentos Ferroviários 2016-2020 funda-se no Plano PETI3+, tem um pacote financeiro associado e apresenta uma calendarização precisa e ambiciosa.
O PETI 3+ definiu um conjunto de prioridades devidamente identificadas por um conjunto alargado de stakeholders que importa destacar:
» Compromissos internacionais, incluindo os bilaterais com Espanha e os que resultam do Corredor Atlântico;
» Fomento do transporte de mercadorias e em particular das exportações;
» Articulação entre os portos nacionais e as principais fronteiras terrestres com Espanha;.

A Rede Ferroviária Nacional não se distribui de forma regular pelo território nacional, apresenta por isso fortes assimetrias regionais e de passageiros.
• A rede ferroviária apresenta-se divida em:
» Rede Principal, constituída por linhas rentáveis que podem ser privatizadas.
» Rede Complementar, constituída por linhas consideradas de utilidade pública, mas pouco rentáveis economicamente e cuja a manuetenção e funcionamento são da competência do Estado.
» Rede Secundária, constituída por linhas que, não sendo de interesse nacional, são de interesse local e regional e cuja a manutenção é da responsabilidade das autarquias locais.

Figura n. 1 – Rede Ferroviária Nacional
caminhos-ferro-portugues
Fonte: Infraestruturas de Portugal, consultado a 5 de fevereiro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *