História 11º Ano – Sociedade e poder em Portugal: preponderância da nobreza fundiária e mercantilizada

– Com a restauração da independência, em 1640, por iniciativa da nobreza, foi concedida a esta ordem um papel importante na sociedade com o reforço dos cargos de governação, na administração ultramarina e no comércio;
– Com a passagem do comércio para a nobreza, a burguesia fica debilitada e vai perder importância na sociedade da época. Desta forma, a burguesia começa a mostrar algumas debilidades pois as actividades mercantis ficam concentradas nas mãos da coroa e da nobreza e tem início a perseguição aos judeus e cristãos-novos pela Inquisição (os judeus eram comerciantes muito importantes na época, devido ao poder económico e as ligações com o Norte da Europa);
– A organização do império colonial e do comércio colonial ficou entregue aos nobres que desempenhavam altos cargos administrativo-militares, o que levou um aumento da riqueza da nobreza;
– Cavaleiro-mercador: figura que surge com a nobreza mercantilista e que tem como função investir os lucros do comércio, não em actividades ligadas ao comércio, na aquisição de terras e bens para proveito próprio;
– No período absolutista, o rei e a nobreza foram um grande entrave à entrada da iniciativa privada no comércio e teve como consequência o atraso económico e social do reino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *