Economia 10º Ano – Comércio e Moeda

Conceitos essenciais para a Unidade 4 “Comércio e moeda”:

Distribuição: actividade que engloba o transporte e o comércio e abrange todas as operações que permitem fazer deslocar os produtos desde a produção até ao consumo;
Circuitos de distribuição: ultracurto, curto, longo;
Comércio: actividade económica integrada no sector terciário que se traduz na compra e venda de bens e serviços e tem como objectivo o lucro;
Tipos de comércio: grossista ou armazenistas, retalhista, independente;
Novas formas de comércio: grandes superfícies ou centros comerciais, franchising;
Novos métodos de venda (venda indirecta): venda à distância, venda automática, comércio electrónico;
Tipos de troca: directa, indirecta;
Evolução e tipos de moeda: moeda-mercadoria, moeda metálica, moeda de papel (moeda representativa, moeda fiduciária), papel-moeda, moeda escritural;
Funções da moeda: meio de pagamento geral e definitivo, medida de valor, instrumento de reserva de valor;
Preço de um bem: é a quantidade de moeda (unidade monetária) necessária para obter um determinado bem ou serviço;
Preço está relacionado com: custos directos, custos indirecto, número de compradores, números de produtores, inovação tecnologica;
Inflação: subida inesperada continua e generalizada dos preços e dos bens e serviços;
Outras designações para variação dos preços:deflação, desinflação, estagflação;
Causas da inflação: aumento da procura agregada, aumento dos custos, expectativas dos agentes económicos;
Consequências da inflação: depreciação da moeda, perda do poder de compra, redistribuição do rendimento e da riqueza, diminuição das exportações e aumento das importações, quebra do investimento;
Indice de Preço do Consumidor (IPC): é a média ponderada dos preços de um determinado cabaz (com bens considerados) e representam o consumo médio de uma família;
Relação da taxa de inflação com a taxa de crescimento do IPC entre duas datas: taxa de inflação mensal (compara o valor da inflação entre 2 meses consecutivos), taxa de inflação homóloga (compara a inflação de um determinado mês com o mês do ano anterior), taxa de inflação média dos últimos 12 meses (compara o valor da inflação nos últimos 12 meses).

Nota: O tópico “A nova moeda portuguesa – o euro”, terá uma publicação própria.

História 11º Ano – As Invasões Francesas

Conceitos fundamentais para a unidade “As Invasões Francesas”:
Bloqueio Continental: em 1806, Napoleão Bonaparte proibiu as nações europeias de efectuarem qualquer troca comercial com Inglaterra;
Não cumprimento do Bloqueio Continental: Portugal, velho aliado de Inglaterra não respeitou as ordens de Napoleão Bonaparte e como consequência sofreu três invasões;
Primeira Invasão (1807 – 1808): liderada pelo General Junot, chega a Lisboa;
Segunda Invasão (1809): comandada pelo Marechal Soult, chega ao Porto mas o Bispo recusa a rendição, dá-se a tragédia da Ponte das Barcas e a cidade do Porto não é tomada pelos franceses e por isso fica conhecida como a “mui nobre sempre leal e invicta cidade do Porto”Câmara do Porto;
Terceira Invasão (1810 – 1811): chefiada pelo Marechal Massena, depara-se com as linhas de Torres (fortificações construídas por iniciativa de Wellington) onde o seu exército é intercetado e obrigado a retirar-se em 1811;
Consequências das invasões francesas: rasto de destruição causado pelo exército francês (agricultura, industria, comércio, perdas humanas e materiais, roubo de património nacional;
Fuga da família real e respectiva corte para o Brasil em 1807 e teve como consequências o governo do reino a partir do Brasil e a regência do Marechal Beresford;
Destruição material devido à passagem das tropas francesas: aumento do défice financeiro;
Abertura dos portos do Brasil, em 1808: a burguesia portuguesa competia com os estrangeiros pelo mercado brasileiro;
Tratado de comércio com Inglaterra, em 1810: favorecimento das manufacturas inglesas no Brasil que prejudicou a indústria nacional.
Permanência francesa após a retira das tropas: alguns franceses que ficaram em Portugal começaram a passar os ideais liberais e desta forma começaram a ser plantadas as sementes para Revolução Liberal Portuguesa de 1820.

Geografia 7º Ano – Estado do tempo e clima

Antes de abordar a matéria de Geografia do 10º ano “Recursos Hídricos“, é necessário rever alguns conceitos fundamentais dados no 7º ano.
Esta publicação é um complemento à publicação Radiação Solar
Conceitos fundamentais da unidade “Estado do tempo e clima“:
Estado do tempo: corresponde ao estado da atmosfera num dado momento e num determinado lugar;
Clima: corresponde à sucessão habitual dos diferentes estados do tempo numa determinada região;
Elementos do clima: temperatura, pressão atmosférica, precipitação, humidade do ar, nebulosidade;
Movimento de rotação: movimento que a terra executa sobre o seu eixo, realiza-se de Oeste para Este, demora aproximadamente 24 horas;
Dia natural: é o espaço de tempo que decorre entre o nascer e o pôr do sol;
Ângulo de incidência: é o ângulo que os raios solares fazem com o plano tangente à superfície da Terra no lugar de observação;
Movimento de translação: movimento que a Terra executa em torno do Sol;
Equinócio: quando o Sol se encontra no mesmo plano do equador (noites iguais aos dias);
Solstício: quando o Sol se encontra no mesmo plano dos trópicos;
Movimento anual aparente do Sol: é o movimento que o Sol parece realizar ao longo do ano, entre os trópicos de Câncer e Capricórnio.

Música – Balada Astral, Miguel Araújo com Inês Viterbo

Esta semana de aulas foi curta e por isso o fim de semana está à porta. Desta vez, não deixo uma sugestão de leitura ou de um filme, mas sim uma música!! Esta forma de arte, a primeira entre as artes, é parte integrante na vida de qualquer um de nós, afinal quem nunca assobiou ou cantarolou uma música…
A minha primeira sugestão musical é a Balada Astral do Miguel Araújo com a Inês Viterbo. Uma música calma, inspiradora, romântica e Portuguesa!
Miguel Araújo: Site, Facebook

Exames Nacionais – Truques e dicas

Não existe uma fórmula mágica para “tirar 20 valores” no exame nacional, mas existem alguns truques e dicas que podem ajudar a atingir o “20”, como por exemplo:
– Estudar e fazer resumos ao longo do ano, assim não perdes tempo na época de exames;
– Fazer exercícios de todas as matérias, mesmo aquelas que entendeste melhor;
– Não alterar a rotina diária, vai ao ginásio (ou praticar desporto), vê uma serie ou um filme, está com os teus amigos ou simplesmente dá uma volta;
– Dormir as 8 horas por dia, o descanso é fundamental;
– Tirar todas as dúvidas na sala de aula ou com o explicador;
– Durante a época de exames, deves fazer um horário de estudo para cada disciplina;
– Ouvir música, ajuda a relaxar;
– Quando os nervos começam a apertar, bebe um chá de cidreira ou compra uma bola anti-stress;
– No dia do exame, deves estar calmo e relaxado, pois já estudaste e por isso vai correr bem;
– …..

Existem muitos truques e dicas… para mim estes são os principais!
Qualquer dúvida que tenhas, entra em contacto comigo!

Explicações de Economia, Geografia, Filosofia, História e Matemática (5º Ano e 6º Ano) – Póvoa de Varzim – Porto
Hugo Patrício
TLM: 91 882 70 69