Exame Nacional de Geografia 2021 – 1.ª Fase – Rede Ferroviária Nacional, Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T), Intermodalidade Ferroportuária no Transporte de Mercadorias

Exame Nacional de Geografia 2021 – 1.ª Fase – Versão 1
Questão 4

4. O Programa de Modernização da Rede Ferroviária Nacional, Ferrovia 2020, destina-se a aumentar a competitividade do transporte ferroviário e a melhorar as ligações internacionais, através de intervenções em metade da rede ferroviária, num traçado com cerca de 1200 km.
Fonte: www.portugal.gov.pt (consultado em outubro de 2020). (Texto adaptado)

Na Figura 3, estão representados os corredores ferroviários com ligações nacionais e os corredores internacionais que integram a Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T), que fazem parte do Programa de Modernização da Rede Ferroviária Nacional.

4.1. Identifique as duas afirmações verdadeiras que podem ser comprovadas através da análise da
Figura 3.
I. O Corredor Norte-Sul permite a ligação a algumas das capitais de distrito portuguesas.
II. O Corredor Internacional Sul, com maior número de estações e de circulação de mercadorias, atravessa todo o Centro e Sul do país.
III. O Corredor Internacional Norte é um dos eixos terrestres de acesso à fronteira com Espanha integrado na RTE-T.
IV. Os Corredores Complementares da rede ferroviária apresentam elevada conectividade.
V. O Corredor Complementar do litoral algarvio liga Sagres a Vila Real de Santo António.

4.2. O percurso Sines-Caia, representado na Figura 3, é estratégico do ponto de vista económico, porque
(A) reforça o papel da ferrovia, enquanto principal fator de expansão das cidades médias do Baixo Alentejo.
(B) potencia as trocas comerciais e o turismo, enquanto fatores dinamizadores do aeroporto de Beja.
(C) valoriza a infraestrutura portuária, enquanto porta de entrada de mercadorias para o mercado europeu.
(D) facilita as acessibilidades internas, enquanto corredor longitudinal multimodal da região Sul.

4.3. A intermodalidade ferroportuária no transporte de mercadorias permite
(A) reduzir os custos do transporte a curta distância.
(B) melhorar a eficiência no transporte porta a porta.
(C) aumentar a segurança do transporte em contentores.
(D) mitigar o impacte do transporte sobre o ambiente.

4.4. Para promover o desenvolvimento do país, foram apresentadas duas propostas de investimento:
A – no comboio de alta velocidade de passageiros Lisboa-Madrid;
B – no transporte ferroviário regional, com ligação ao interior do país.

Selecione uma das propostas, A ou B. De acordo com a proposta selecionada, apresente dois argumentos, explicando de que modo promove o desenvolvimento do país.

Correcção: Aqui
Fonte: Iave, consultado a 13 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Transportes, Áreas Rurais, Passadiços

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Versão 1
Questões 10 – 11

10. Complete o texto seguinte, fazendo corresponder a cada letra o número da opção correta.

Escreva, na folha de respostas, apenas as letras e os números que correspondem às opções selecionadas.

A estratégia digital aplicada aos transportes rodoviários difundiu-se em várias situações: os painéis luminosos nas autoestradas permitem ______a)____; o sistema de portagem eletrónica permite ______b)____; a utilização de GPS, aplicado aos veículos de transporte público, permite ______c)____.

a)
1. otimizar consumos
2. medir a velocidade dos veículos
3. aumentar a segurança rodoviária
b)
1. aumentar a fluidez do tráfego
2. selecionar percursos
3. reduzir acidentes
c)
1. aumentar o conforto no veículo
2. aceder às redes sociais
3. conhecer o tempo de espera em cada paragem

11. As Fotografias A, B e C ilustram passadiços localizados em áreas rurais de Portugal continental.

O Quadro 1 identifica alguns objetivos da construção de passadiços [alíneas de a) a e)].
Selecione os três objetivos que são comuns aos passadiços observados nas três fotografias (A, B e C).

Quadro 1 – Objetivos
a) Viabilizar o acesso dos turistas a áreas de declive acentuado.
b) Permitir a modalidade de turismo de natureza.
c) Percorrer um troço do perfil transversal do rio.
d) Possibilitar a passagem em segurança por locais de difícil acesso.
e) Reduzir o impacte da passagem dos turistas pelas áreas naturais.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 8 de setembro de 2021.

Exame Nacional Geografia 2018 – 1.ª Fase: A população, como se movimenta e comunica.

2. Na Figura 2, observa-se parte do Parque das Nações, onde se localiza a Gare do Oriente, construída na área oriental da cidade de Lisboa, na margem norte do rio Tejo, aquando da Exposição Mundial de Lisboa (Expo’98 Lisboa). Esta infraestrutura é constituída por uma estação ferroviária, por uma central rodoviária, por praças de táxis, por parques de estacionamento e por uma estação de metropolitano.

2.1. As afirmações seguintes são verdadeiras.

I. O pavilhão Altice Arena está localizado a este da estação ferroviária.
II. A ponte Vasco da Gama tem, aproximadamente, 17 km.
III. A central rodoviária estabelece a ligação entre os transportes urbanos e os suburbanos.
IV. A Gare do Oriente apresenta elevada centralidade, o que contribui para a fixação de empresas no Parque das Nações.
V. O Parque das Nações é um espaço multifuncional, cuja génese está associada à Expo’98 Lisboa.

Identifique as duas afirmações cujo conteúdo pode ser comprovado através da leitura do texto introdutório ou da análise da Figura 2.

2.2. A Gare do Oriente, observada na Figura 2, é considerada um interface, porque constitui

(A) uma plataforma logística, onde existe um terminal de passageiros com ligação direta ao aeroporto de Lisboa.
(B) um nó, onde se muda do modo de transporte ferroviário para o modo de transporte fluvial.
(C) um nó, onde se estabelecem conexões entre os modos de transporte rodoviário e ferroviário.
(D) uma plataforma logística, onde ocorre transbordo de mercadorias entre os vários modos de transporte.
2.3. A ponte Vasco da Gama, observada na Figura 2, é um eixo rodoviário que veio contribuir para

(A) acentuar as assimetrias regionais entre os concelhos ribeirinhos a norte e a sul do rio Tejo.
(B) intensificar a frequência dos movimentos pendulares entre as duas margens do rio Tejo.
(C) diminuir a renda locativa nos concelhos ribeirinhos a sul do rio Tejo.
(D) reduzir a área da zona húmida da Reserva Natural do Estuário do Tejo.

3. A maioria dos turistas oriundos da União Europeia que viajam para Lisboa utiliza o transporte aéreo, em detrimento do transporte ferroviário,

(A) pelo elevado número de ligações diretas com Lisboa no espaço europeu, que reduzem a distância tempo nas viagens.
(B) por Portugal pertencer ao Espaço Schengen, o que dispensa a utilização de documentos de identificação individual.
(C) pelo elevado número de placas giratórias no espaço europeu, que aumentam a flexibilidade nos itinerários intercontinentais.
(D) por Portugal pertencer à Zona Euro, o que isenta os turistas do pagamento de taxas nos locais de embarque e desembarque.

No Scribd podem consultar e guardar a ficha e as respectivas soluções.

Geografia – Exercícios de Preparação para o Exame Nacional: A população, como se movimenta e comunica

Grupo I

Leia atentamente o texto que se segue.

1. A Europa apresenta um Índice de Desenvolvimento das TIC (IDI)

(A) insuficiente.
(B) ainda fraco, mas com taxas de crescimento muito rápidas.
(C) razoável.
(D) elevado, com vários países a ocuparem lugares cimeiros no ranking mundial.

2. A Agenda Digital para a Europa constitui uma das sete iniciativas emblemáticas ao abrigo da

(A) Estratégia Europa 2020.
(B) Estratégia de Lisboa.
(C) Rede Ciência, Tecnologia e Sociedade (RCTS).
(D) STAR – Ação Especial no Campo das Tecnologias para o Desenvolvimento Regional.

3. Podemos considerar que o decisivo marco que o Governo português fez na dinamização de uma sociedade da informação e do conhecimento

(A) foi o arranque para o QCA I.
(B) foi o arranque para o QCA II.
(C) foi o arranque para o QCA III.
(D) foi o arranque do QREN (Quadro Comunitário de Apoio 2007-2013).

[…]

Aqui estão apenas as três primeiras questões de preparação para o exame, no Scribd podem consultar e guardar a ficha completa com todas as questões (oito no total) e as respectivas soluções.

Geografia 11.º Ano – Transportes: Aeroporto do Montijo.

7 grandes números do novo aeroporto no Montijo
Com a “luz verde” da Agência Portuguesa do Ambiente, o novo aeroporto do Montijo tem tudo pronto para avançar. Conheça sete grandes números deste projeto.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) disse “OK” à reconversão da Base Aérea n.º 6 num novo aeroporto comercial no Montijo, que deverá complementar a capacidade do atual Aeroporto Humberto Delgado. Era o último passo visto como crucial para a obra arrancar. Conheça sete grandes números do projeto.

2022
Estima-se que o novo aeroporto do Montijo comece a operar em 2022, segundo o acordo fechado entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal, que é controlada pelos franceses da Vinci. A intenção passa pela reconversão da atual base aérea num aeroporto comercial, para complementar o aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

1,3 mil milhões de euros
É o montante total que a ANA se comprometeu a investir até 2028 no novo aeroporto do Montijo. O valor inclui não só a reconversão da base onde atualmente está instalada a Força Aérea como também a expansão do atual aeroporto de Lisboa.

Notícia completa: 7 grandes números do novo aeroporto no Montijo
Fonte: Eco, consultado a 23 de fevereiro de 2020.