Exame Nacional de Geografia 2020 – Época Especial – Recursos do Subsolo, Pedreiras, Águas de Nascente, Escala Numérica, Energias Renováveis

Exame Nacional de Geografia 2020 – Época Especial
Questões 1-2

1. A heterogeneidade do território português, do ponto de vista geológico, contribuiu para um padrão espacial
diferenciado, no que respeita à exploração e à transformação dos recursos do subsolo, que pode ser
observado na Figura 1.

1.1. A escala numérica que corresponde à escala gráfica representada na Figura 1 é
(A) 1/50 000.
(B) 1/5 000 000.
(C) 1/500 000.
(D) 1/5000.

1.2. Considere as seguintes afirmações verdadeiras.
I. A litoralização da distribuição das pedreiras contrasta com o padrão de distribuição das explorações de águas de nascente em atividade.
II. A exploração dos recursos do subsolo, como as águas termais, tem contribuído para o desenvolvimento do turismo em espaço rural.
III. Na região Centro, algumas explorações de águas de nascente em atividade estão localizadas nas NUTS III Beiras e Serra da Estrela e Beira Baixa.
IV.  Os calcários extraídos nas Serras de Aire e de Candeeiros são muito utilizados na construção da calçada portuguesa.
V. No conjunto montanhoso Estrela-Açor-Gardunha estão localizadas unidades industriais de engarrafamento de águas de nascente.

Identifique as duas afirmações cujo conteúdo pode ser comprovado através da análise da Figura 1.

2. O mar português dispõe de recursos energéticos que podem vir a ser potencializados em benefício da economia portuguesa.

Duas das estratégias de desenvolvimento do país seriam:
A – a exploração dos recursos energéticos de fontes renováveis;
B – a exploração de recursos energéticos de fontes não renováveis.

Selecione uma das estratégias, A ou B. De acordo com a estratégia selecionada, apresente duas formas de exploração dos recursos energéticos, explicando de que modo poderão contribuir para o desenvolvimento socioeconómico do país.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 10 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Energias Renováveis, Energias Não Renováveis, Postos de Carregamento Elétrico Rápido e Mobilidade Elétrica

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Versão 1
Questão 7

7. A promoção da mobilidade sustentável é um dos objetivos para Portugal no horizonte 2030. Neste âmbito, uma das linhas de atuação assenta na promoção e apoio à mobilidade elétrica, através do incentivo à introdução de veículos elétricos e do reforço das infraestruturas de carregamento.
Fonte: Plano Nacional de Energia e Clima. Linhas de atuação para o horizonte 2021-2030. Janeiro de 2018.
in https://www.portugal.gov.pt (consultado em outubro de 2019). (Texto adaptado)

Na Figura 5, estão representados alguns postos de carregamento elétrico rápido existentes em Portugal
continental, em 2018.

7.1. De acordo com a Figura 5, em Portugal continental, em 2018, a maioria dos postos de carregamento elétrico rápido localiza-se
(A) na faixa litoral, entre Setúbal e Viana do Castelo, servida pela rede de itinerários principais.
(B) nas regiões fronteiriças, a norte de Portalegre, dotadas de boa acessibilidade a Espanha.
(C) na Área Metropolitana do Porto, servida por uma rede intermunicipal de estradas muito densa.
(D) nas sedes de distrito do território continental, conectadas pela rede rodoviária complementar.

7.2. A aposta de Portugal na mobilidade elétrica, para o horizonte 2030, visa, principalmente,
(A) melhorar o funcionamento da rede de transportes públicos.
(B) diminuir o tráfego nas áreas urbanas.
(C) reduzir a sinistralidade rodoviária nos itinerários principais.
(D) aumentar a descarbonização nas cidades.

7.3. A deslocação diária de pessoas nas áreas metropolitanas exige uma gestão concertada por parte de todos os intervenientes.
Duas das propostas, com vista a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, são:
A – a expansão da rede de metropolitano;
B – a promoção da multimodalidade nos transportes.

Selecione uma das propostas, A ou B. De acordo com a proposta selecionada, apresente duas vantagens, explicando de que modo se refletem na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 10 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Energias Renováveis, Energias Não Renováveis, Energia Elétrica e Termalismo

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Versão 1
Questões 3-4

3. Na Figura 2, está representada a produção mensal de energia elétrica a partir de fontes de energia renovável e não renovável, com reflexo nas emissões de CO2, na Região Autónoma da Madeira (RAM), em 2018.

3.1. Identifique, com base na análise da Figura 2, dois meses em que a produção de energia elétrica com origem em fontes de energia não renovável foi superior a 60 GWh.

3.2. Considere as seguintes afirmações.

I. O ritmo de variação das emissões mensais de CO2 acompanha o ritmo de variação mensal da produção de energia elétrica com origem em fontes de energia não renovável.
II. Os meses de outubro, novembro e dezembro de 2018 constituem o período do ano em que a produção de energia elétrica é mais elevada e as emissões de CO2 registam uma descida
constante.
III. Os valores mais baixos de emissões de CO2 correspondem aos valores mais baixos de produção de energia elétrica com origem em fontes de energia renovável, ao longo do ano de 2018.
IV. Nos meses de verão, a maior produção de energia com origem em fontes de energia não renovável reflete‑se no aumento das emissões de CO2.
V. No mês de dezembro de 2018, verificou-se a maior produção de energia elétrica e as maiores emissões de CO2.

Identifique, com base na análise da Figura 2, as duas afirmações verdadeiras que comprovam que
as emissões de CO2 estão relacionadas com a fonte de energia utilizada.

4. O termalismo é uma atividade económica importante, que contribui para o desenvolvimento das regiões do interior de Portugal continental.

Refira duas atividades do sector terciário associadas à exploração das termas, explicando como contribuem para o desenvolvimento das regiões.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 10 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Exploração Mineira, Lítio, Agricultura, Floresta, Ilha da Madeira, Socalcos e Levadas

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Versão 1
Questões 6 – 9

6. Na Figura 5A, estão delimitadas as unidades geomorfológicas e as áreas onde existem reservas de lítio em Portugal continental. Na Figura 5B, estão listados, de forma aleatória, constrangimentos e potencialidades da exploração do lítio.

6.1. O lítio é um metal localizado ______________ e está associado a minerais ______________, como o feldspato e o quartzo.
(A) na orla mesocenozoica ocidental … metálicos
(B) na orla mesocenozoica meridional … não metálicos
(C) no maciço antigo … não metálicos
(D) no maciço antigo … metálicos

6.2. Os constrangimentos da exploração do lítio correspondem, na Figura 5B, aos números
(A) II, IV e V.
(B) III, IV e VI.
(C) I, III e VI.
(D) I, II e V.

7. O Documento A refere-se à utilização das tecnologias de precisão no sector agrícola e florestal.

7.1. As tecnologias utilizadas na agricultura de precisão, referidas no texto do Documento A, permitem alterações
(A) na morfologia agrária, porque favorecem o parcelamento da propriedade.
(B) no sistema de cultura, porque asseguram a preservação das culturas tradicionais.
(C) no sistema de cultura, porque permitem gerir com mais eficácia os fatores de produção.
(D) na morfologia agrária, porque valorizam formas de exploração por conta própria.

7.2. Os drones (veículos aéreos não tripulados) possibilitam a observação em tempo real e a gravação de imagens.

Refira, justificando, duas utilizações de drones em contextos como o ilustrado na Fotografia I do Documento A.

7.3. Um dos problemas da agricultura portuguesa que podem comprometer a prática da agricultura de precisão é
(A) a adesão da maioria dos agricultores ao associativismo agrário.
(B) o individualismo socioprofissional dos produtores agrícolas jovens.
(C) a iliteracia digital de um elevado número de produtores agrícolas.
(D) o predomínio de explorações agrícolas de grande dimensão.

7.4. A fixação de unidades agroindustriais em territórios do interior de Portugal continental de elevada debilidade socioeconómica é importante, porque
(A) reduz a necessidade de transporte dos produtos transformados.
(B) diversifica o tecido empresarial nas áreas rurais.
(C) liberaliza o mercado associado aos produtos agrícolas.
(D) encurta a distância entre a origem da matéria-prima e o mercado.

8. Em Alcácer do Sal, a produção biológica de mirtilos, de elevado valor unitário, destina-se principalmente à exportação para países do Norte da Europa, recorrendo a transporte especializado.

Selecione os dois meios de transporte mais adequados à exportação de mirtilos, considerando a garantia da qualidade do produto.
a) camião refrigerado;
b) comboio de mercadorias;
c) navio porta-contentores;
d) navio graneleiro;
e) avião de carga.

9. Leia o texto seguinte.
As paisagens agrárias da ilha da Madeira refletem a adaptação dos sistemas de cultura ao clima e ao relevo. Os socalcos permitem suster os solos agrícolas nas vertentes onde predomina o declive suave (Frase I). As levadas facilitam o transporte de água das áreas de maior altitude para as de menor altitude, aproveitando a ação da gravidade. Na vertente norte, dominam as culturas tropicais, como, por exemplo, a bananeira (Frase II).

As duas frases sublinhadas no texto (I e II) apresentam, cada uma, um erro científico.
Identifique os erros, justificando a sua resposta.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 8 de setembro de 2021.

Geografia: Disponibilidades de águas superficiais e subterrâneas

Disponibilidades de águas superficiais e subterrâneas.

Os recursos hídricos são utilizados a nível nacional para diversos fins – abastecimento doméstico, industrial, agrícola e turismo. Importa assim conhecer e acompanhar a evolução das disponibilidades hídricas, sendo este acompanhamento mais relevante nos períodos extremos.

As reservas hídricas superficiais são determinadas pela análise comparativa do armazenamento de água disponível em 62 albufeiras, localizadas nas principais bacias hidrográficas do país. Nesta análise são excluídas as albufeiras a fio-de-água, as de uso privado e com diminuta capacidade de regularização.

O índice de escassez permite relacionar as disponibilidades com as necessidades e assim aferir a procura em relação à oferta de forma a considerar se existe escassez em cada região hidrográfica.

Fonte: REA – APA, consultado a 5 de setembro de 2021.

Geografia – Recursos Energéticos: Estatísticas da Energia 2020

O site da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG) disponibilizou estatísticas sobre os recursos energéticos.

Fonte: Estatística Energia, consultado a 20 de dezembro de 2020.

Geografia 10.º Ano – Recursos do Subsolo: Estatística dos Recursos Geológicos – 2020

O site da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG) disponibilizou estatísticas sobre os recursos geológicos.

“A estatística dos recursos geológicos pretende caracterizar este setor em cada ano, através do conhecimento das principais variáveis que o representam, nomeadamente, os estabelecimentos em atividade, as suas produções, vendas, pessoal ao serviço, consumos e investimentos.
No âmbito do processo de delegação de competências do INE na DGEG para a produção de estatísticas oficiais na área dos recursos geológicos, são reconhecidas as competências técnicas da DGEG na análise e produção dessa informação estatística, efetuadas no estrito cumprimento da legislação aplicável e do Código de Conduta para as Estatísticas Europeias.”

Fonte: DGEG – Geologia, consultado a 20 de dezembro de 2020.

Geografia 10.º Ano – Os recursos dos subsolo português “O petróleo do fundo do mar português”

Leia atentamente o texto seguinte.

O petróleo do fundo do mar português.
Os dados científicos indicam que terão sido geradas quantidades significativas de petróleo nas bacias Lusitânica e Porto, como mostram as numerosas manifestações superficiais e indícios encontrados em sondagens. Na bacia do Algarve, os indícios de petróleo encontrado são menos significativos, apesar de, em duas das cinco sondagens perfuradas até hoje, terem sido detetados indícios de gás natural. Quanto à bacia do Alentejo e às restantes cinco bacias exteriores (no deep-offshore), nada pode ser afirmado perentoriamente, uma vez que nunca foram perfuradas, embora existam razoes para acreditar na existência de um sistema petrolífero nestas bacias.
Fonte: CORREIA, Armando J. D. – O Mar no Século XXI, FEDRAVE, 2010 (adaptado)

1. Justifique a importância da eventual existência de petróleo em território nacional.
2. Aponte dois fatores que possam vir a condicionar a sua exploração futura.
3. Identifique alguns dos riscos associados à exploração deste recurso, referindo:
– riscos ambientais;
– riscos relacionados com o objetivo da Política Energética Nacional de reforçar a diversificação das fontes primárias de energia.

Geografia 10.º Ano – Recursos do Subsolo: O lítio em Portugal.

O que é e porque há uma corrida ao lítio?

É apelidado de “petróleo branco”, o lítio ganhou revelo ao ser usado no fabrico de baterias. Várias análises confirmaram a existência em Portugal de uma das maiores reservas daquele mineral da Europa.
O lítio (Li) foi descoberto em 1817. O inglês Humphry Davy isolou-o através da electrólise, um método ainda usado para obter lítio puro. Começou a ser utilizado comercialmente em 1923 na cerâmica e na medicina, tornando-se depois essencial na aeronáutica e na electrónica.
Além dos jazigos minerais de espodumena, petalite, ambligonite e lepidolite, como no caso português, o lítio também pode ser extraído de lagos salgados, nomeadamente dos Himalaia e dos Andes (Chile, Argentina e Bolívia).
Qual a importância dos depósitos de lítio em Portugal?

As reservas de lítio em Portugal são uma das maiores na Europa e as sextas a nível mundial. Existem, pelo menos, 12 as áreas consideradas de elevado potencial no centro e no norte do país. No total, há 79 municípios com requerimentos de prospeção e pesquisa de lítio.

Notícia completa: O que é e porque há uma corrida ao lítio?

Fonte: Rádio Renascença, consultado a 23 de fevereiro de 2020.