Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia de Ataque à Pessoa (Ad Hominem)

Exemplos de Falácias Informais: Falácia Ataque à Pessoa (Ad Hominem)

– A tua tese não tem qualquer valor, porque és um ex-presidiário.

– Sartre estava errado a respeito do ser humano, porque não ia regularmente à missa.

Filosofia 11.º Ano – Falácia de Ataque à Pessoa (Ad Hominem)

Falácias Informais:

– Falácia de Ataque à Pessoa (Ad Hominem), é a falácia que se comete quando, em vez de se atacar ou refutar a tese de alguém, se ataca a pessoa que a defende.

Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia do Apelo à Ignorância

Exemplos de Falácias Informais: Falácia de Apelo à Ignorância

– A alma é imortal. Na verdade, ninguém, provou que a alma morre com o corpo.

– Já que não há dúvidas, é porque todos estão muito bem preparados para fazer um teste.

Filosofia 11.º Ano – Falácia do Apelo à Ignorância

Falácias Informais:

– Apelo à Ignorância, é a falácia que em cada uma proposição é tida como verdadeira só porque não se provou a sua falsidade ou como falsa só porque não se provou que é verdadeira.

Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia do Falso Dilema

Exemplos de Falácias Informais: Falácia do Falso Dilema

– Ou votas no partido x ou será a desgraçada do pais.

– Ou estudas muito ou serás um fracassado na vida.
Não estudas muito.
Logo, serás um fracassado na vida

Filosofia 11.º Ano – Falácia do Falso Dilema

Falácias Informais:

-Falácia do Falso Dilema, é a falácia que consiste em reduzir as opções possíveis a apenas duas, ignorando-se as restantes alternativas. Trata-se, portanto, de extrair uma conclusão a partir de uma disjunção falsa.

Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia da Petição de Princípio

Exemplos de Falácias Informais: Falácia da Petição de Princípio

– Tudo o que a Bíblia diz é verdade, porque foi escrita por inspiração divina.
A Bíblia diz que Deus existe.
Logo, Deus existe

– Andar a pé é um desporto saudável.
Logo, andar a pé é um desporto que faz bem à saúde.

Filosofia 11.º Ano – Falácia da Petição de Princípio

Falácias Informais:

– Falácia da Petição de Princípio, é a falácia que consiste e, assumir como verdadeiro aquilo que se pretende provar.

Filosofia 11.º Ano – Falácias Informais

Falácias Informais, são argumentos inválidos, aparentemente válidos, mas cuja a invalidade não resulta de uma deficiência formal, antes decorre do conteúdo do argumento da sua matéria, da linguagem natural comum usada nesses argumentos.

As principais falácias são:

– Petição de Princípio.
– Falso Dilema.
– Apelo à Ignorância
– Ataque à Pessoa (Ad Hominem).
– Derrapagem ou Bola de Neve.
– Espantalho ou Boneco de Palha.
– Causa Falsa,(Post Hoc, Ergo Propter Hoc).
– Apelo à Força (Ad Baculum).
– Apelo à Misericórdia (Ad Misericordiam).

Filosofia 11.º Ano – Questões de Exame Nacional: Falácias Informais

Questões de Exame Nacional de Filosofia
– Falácias Informais: Petição de Princípio, Falso Dilema, Apelo à Ignorância, Ad Hominem,
Derrapagem ou Bola de Neve, Boneco de Palha ou Espantalho.

Questões de Escolha Múltipla:

1 – «Retirar das escolas e dos hospitais públicos todos os símbolos religiosos é inaceitável, pois isso é o mesmo que impor o ateísmo.»
O orador que apresentasse o argumento anterior incorreria na falácia:

(A) do boneco de palha.
(B) da petição de princípio.
(C) do apelo à ignorância.
(D) ad hominem.

2 – «Não temos livre-arbítrio, porque ter livre-arbítrio é ter o poder de escolher algo, e nós apenas temos a ilusão de que podemos escolher.»
O orador que apresenta o argumento anterior incorre na falácia:

(A) da petição de princípio.
(B) da derrapagem.
(C) do falso dilema.
(D) do boneco de palha.

3 – «Dizes que os animais não têm direitos, porque és uma pessoa má e insensível que nunca teve animais de estimação e para quem o sofrimento dos outros seres vivos não tem qualquer significado.»
O orador que argumentasse desta maneira estaria a incorrer na falácia

(A) ad hominem.
(B) da derrapagem.
(C) do apelo à ignorância.
(D) da petição de princípio.

4 – «Se for permitido fazer um referendo para saber se os habitantes da Catalunha querem continuar integrados em Espanha, então cada cidade da Catalunha deve igualmente ter um referendo para saber se os seus habitantes querem pertencer à Catalunha, e assim sucessivamente, até fazer referendos para saber se os habitantes de cada rua querem continuar na freguesia a que pertencem.»
O orador que apresenta o argumento anterior incorre na falácia

(A) da derrapagem.
(B) do falso dilema.
(C) do apelo à ignorância.
(D) ad hominem.

5 – Considere as seguintes falácias.

1. É impossível falar sem usar palavras, uma vez que as palavras são necessárias para falar.
2. Ninguém conseguiu provar que a reincarnação existe. Portanto, a reincarnação não existe.
3.  Quem não aprova todas as nossas decisões é contra nós. Como não aprovas todas as nossas decisões, és contra nós.
4. A filosofia de Sartre é irrelevante porque o autor é ateu.

Deve afirmar-se que:
(A) 1. é petição de princípio; 2. é ad hominem; 3. é falso dilema; 4. é apelo à ignorância.
(B) 1. é petição de princípio; 2. é apelo à ignorância; 3. é falso dilema; 4. é ad hominem.
(C) 1. é falso dilema; 2. é apelo à ignorância; 3. é ad hominem; 4. é petição de princípio.
(D) 1. é petição de princípio; 2. é apelo à ignorância; 3. é ad hominem; 4. é falso dilema.

Fonte: IAVE, consultado em 16 de junho de 2017