Exame Nacional de Economia – Unidade 2

1. Em 2014, a Ana gastou 5000 euros em despesas de alimentação e 20 000 euros nas restantes despesas de consumo, não tendo efetuado qualquer poupança. Em 2015, o rendimento disponível da Ana aumentou 10%, em termos nominais, e a sua poupança manteve-se nula. De acordo com a lei de Engel, será de esperar que, em 2015, a Ana tenha gastado

(A) 20% do seu rendimento disponível em despesas de alimentação.
(B) 75% do seu rendimento disponível em despesas de consumo não alimentares.
(C) mais de 25% do seu rendimento disponível em despesas de alimentação.
(D) mais de 80% do seu rendimento disponível em despesas de consumo não alimentares.

2. Considera-se que existe um consumo final quando os bens são

(A) incorporados pelos produtores no processo produtivo de bens essenciais.
(B) utilizados pelas famílias na satisfação das suas necessidades.
(C) incorporados pelas indústrias no processo produtivo de bens duradouros.
(D) utilizados pelas empresas ao longo de vários ciclos produtivos.

3. A vigilância das águas territoriais portuguesas, efetuada pela Marinha Portuguesa, com o objetivo de garantir a segurança dos cidadãos residentes, satisfaz uma necessidade

(A) intermédia.
(B) terciária.
(C) coletiva.
(D) individual.

[…]

Aqui estão apenas as três primeiras questões do exame, no Scribd podem consultar e guardar a ficha completa com todas as questões (sete no total) e as respectivas soluções.

Economia 10.º Ano – Questões de Exame Nacional: Unidade 2 – Necessidades e Consumo

Questões de Exame Nacional de Economia A
Unidade 2 – Necessidades e Consumo

Questão de Escolha Múltipla:

1. Um dos objetivos associados aos movimentos consumeristas é o de

(A) defender os interesses dos produtores e dos vendedores.
(B) estimular padrões de consumo massificados.
(C) promover os direitos dos consumidores.
(D) proteger os interesses das pequenas e médias empresas.

2. Uma das consequências do consumismo é

(A) a preservação dos recursos naturais.
(B) o aumento da taxa de atividade.
(C) a diminuição do rendimento pessoal.
(D) o endividamento das Famílias.

3. A sensação de sede vai desaparecendo à medida que vamos ingerindo quantidades adicionais de água, até que a necessidade de beber água desaparece. A característica das necessidades que a afirmação anterior ilustra é a

(A) intensidade.
(B) saciabilidade.
(C) substituibilidade.
(D) multiplicidade.

4. Num dado país, o rendimento disponível médio das famílias foi 21 600 euros, em 2013, e 25 000 euros, em 2014. A poupança das famílias foi 5% do seu rendimento disponível médio, em ambos os anos. Considerando-se que o coeficiente orçamental das despesas em alimentação foi 11%, em 2013, e 10%, em 2014, podemos afirmar que a despesa anual média das famílias em alimentação

(A) foi 2375 euros, em 2014.
(B) foi 2500 euros, em 2014.
(C) foi 2376 euros, em 2013.
(D) foi 2052 euros, em 2013.

Questão de Desenvolvimento:

1. Leia o texto que se segue.

Para analisar as alterações no consumo, à medida que um consumidor vai ficando mais rico,
é preciso saber o que acontece ao total das despesas de consumo e ao peso de um certo
bem no total dessas despesas. Será que, por exemplo, à medida que o rendimento aumenta,
considerando os preços constantes, o consumidor vai comprar mais pão? E será que o peso do
pão no total das despesas de consumo aumentará?
João L. César das Neves, Introdução à Economia, Lisboa, Verbo, 1997, p. 125 (adaptado)

– Explicite, com base no texto e na lei de Engel, as alterações esperadas no nível e na estrutura do consumo das famílias, na sequência do aumento do respetivo rendimento.

Fonte: IAVE, consultado a 5 de junho de 2017

Economia 10.º Ano – A Poupança das famílias

Conceitos fundamentais sobre o Rendimento disponível, Consumo e Poupança:

– O rendimento disponível dos particulares é calculado da seguinte forma:
Rendimento Disponível= Rendimentos Primários (salários, rendas, juros, lucros) + Rendimentos Secundários (transferências internas, transferências externas) – Impostos e Contribuições Sociais.
– O rendimento disponível dos particulares pode ser utilizado sob duas formas: em consumo e/ou poupança.
– Poupança é parte do rendimento que não é utilizado em consumo imediato.

Para saberes mais sobre estas temáticas podes consultar as seguintes publicações:
Consumo
Rendimento Disponível
Poupança

A poupança das famílias portuguesas voltou a cair em 2015 face ao ano anterior, representando 4,4% do rendimento disponível, um novo mínimo dos últimos 20 anos, segundo números do Instituto Nacional de Estatística (INE).
De acordo com dados do INE, a taxa de poupança das famílias portuguesas (e das sociedades sem fins lucrativos que as apoiam) representou 4,4% do rendimento disponível em 2015, uma nova descida face a 2014, quando as famílias conseguiam poupar 5,2% do seu rendimento.

Noticia Completa: RTP, consultado em 2 de novembro de 2016

Economia 10º Ano – Os destinos da poupança, a importância do investimento

Conceitos essenciais para o tópico ” Os destinos da poupança, a importância do investimento”

A poupança pode ser feita de três formas: colocação financeira, entesouramento, investimento;
Colocação financeira: aplicação da poupança em produtos financeiros disponibilizados por intermédio de instituições financeiras (depósitos a prazo, acções, obrigações, certificados de aforro, bilhetes de tesouro, planos de poupança);
Entesouramento: parte da poupança que não é aplicada, limitando-se a ser reservada pelos seus proprietários (obras de arte, jóias)
Investimento: aplicar a poupança para a actividade produtiva, com o intuito de manter ou aumentar a sua capacidade;
Componentes de investimento: formação bruta de capital fixo(FBCF), variação de existências;
Natureza do investimento: material (aquisição de bens tangíveis) imaterial (aquisição de bens intangíveis, bens não corpóreos), financeiro (aquisição de activos financeiros);
Função do investimento: substituição (assegurar a capacidade produtiva), inovação (manter os equipamentos e processos de fabrico actualizados tecnologicamente), capacidade (aumento da capacidade produtiva);
Agente do investimento: público (estado), privado (agentes privados).

Economia 10º Ano – Utilização dos rendimentos – consumo e poupança

Conceitos fundamentais para o tema “Utilização dos rendimentos – consumo e poupança”

Consumo: é o acto de utilização de um bem ou serviço com vista a quer satisfazer uma necessidade (consumo final) ou à produção de outros bens (consumo intermédio);
Poupança: parte do rendimento que não é utilizado no consumo imediato (utilizado mais tarde para satisfazer as necessidades) ou guardar parte do rendimento para uma utilização futura;
– A produção gera rendimentos que são utilizados no consumo e na poupança;
Principais razões para poupar: projectos futuros,investimentos, doença, desemprego, necessidades futuras;
Agentes: para além das famílias, as empresas também efectuam poupança (neste caso dos seus lucros).

Economia 10º Ano – Necessidades e consumo

Conceitos fundamentais da Unidade 2 “Necessidades e consumo”:
Necessidade: sentimento de carência que ocore sempre que somos privados de um bem ou serviço que precisamos;
– Características das Necessidades: multiplicidade, saciabilidade, hierarquização, substituibilidade;
– Classificação das Necessidades: primárias, secundárias, terciárias; económicas, não económicas; individuais, colectivas;
Consumo: é o acto económico que nos permite concretizar a satisfação de uma necessidade;
– Classificação dos tipos de Consumo: individual, colectivo; intermédio, final; público, privado; essencial, supérfluo;
– Factores que dependem o Consumo – Económicos: rendimento dos consumidores (lei de Engel, coeficiente orçamental), nível de preços, inovação tecnológica;
Lei de Engel: quanto maior o rendimento de uma família, menor é a proporção dos seus gastos em bens básicos;
Coeficiente Orçamental: (valor da classe de despesa/valor total das despesas) x 100;
– Factores que dependem o Consumo – Não Económicos: moda, tradição, publicidade, modos de vida, estrutura etária;
– Sociedade de Consumo, uma sociedade com padrões de consumo massificados devido ao tipo de oferta e tipos de pressões exercidas sobre o consumidor
– Consumismo, é o conjunto dos comportamentos e atitudes susceptíveis de conduzir a um consumo sem critérios, compulsivo, irresponsável e perigoso.
– Consumerismo, consumo racional, controlado, selectivo, baseado em valores sociais e ambientais e no respeito pelas gerações futuras.