Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia do Apelo à Misericórdia (Ad Misericordiam)

Exemplos de Falácias Informais: Falácia do Apelo à Misericórdia (Ad Misericordiam)

– O meu ato, embora horrível, merece desculpa: naquele dia eu não estava psicologicamente bem e doía-me o estômago.

– Esperamos que aceite as nossas teses. No último mês, praticamente não dormimos só para chegar a estas conclusões.

Filosofia 11.º Ano – Falácia do Apelo à Misericórdia (Ad Misericordiam)

Falácias Informais:

– Falácia do Apelo à Misericórdia (Ad Misericordiam), é a falácia que ocorre quando se apela ao sentimento de piedade ou de compaixão para se conseguir que uma determinada conclusão seja aceite.

Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia do Apelo à Força (Ad Baculum)

Exemplos de Falácias Informais: Falácia do Apelo à Força (Ad Baculum)

– É bom que aceitem o aumento dos impostos se não querem que o país vá à falência e venha aí uma ditadura.

– É muito conveniente que se acredite no que diz o nosso livre sagrado. Se alguém não acreditar, será queimado na fogueira.

Filosofia 11.º Ano – Falácia do Apelo à Força (Ad Baculum)

Falácias Informais:

– Falácia do Apelo à Força (Ad Baculum), é a falácia que consiste em obrigar alguém a admitir uma opinião, recorrendo à força ou à ameaçada.

Filosofia 11.º ano – Exemplos: Falácia da Causa Falsa, (Post Hoc, Ergo Propter Hoc)

Exemplos de Falácias Informais: Falácia da Causa Falsa, (Post Hoc, Ergo Propter Hoc)

– Fiquei com dores de cabeça no dia em que a minha avó fez um bolo. O bolo foi a causa das minhas dores de cabeça.

– Quando faço testes em dias de chuva, tiro negativa. Por isso, a chuva é a causa das negativas dos meus testes.

Filosofia 11.º Ano – Falácia da Causa Falsa, (Post Hoc, Ergo Propter Hoc)

Falácias Informais:

– Falácia da Causa Falsa, (Post Hoc, Ergo Propter Hoc), é a falácia que surge sempre que se toma como causa de algo aquilo que é apenas um antecedente ou uma qualquer circunstância acidental.

Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia do Espantalho ou Boneco de Palha

Exemplos de Falácias Informais: Falácia do Espantalho ou Boneco de Palha

– António defende que não devemos comer carne de animais cujo o processo de industrialização os tenha sujeitado a condições de vida e morte cruéis. Manuel refuta António dizendo: “António quer que apenas comamos alface!”

– As pessoas que querem legalizar o aborto o que querem é a prevenção irresponsável da gravidez. Mas nós queremos uma sexualidade responsável.
Logo, o aborto não deve ter legalizado.

Filosofia 11.º Ano – Falácia do Espantalho ou Boneco de Palha

Falácias Informais:

– Falácia do Espantalho ou Boneco de Palha, é a falácia cometida sempre que o orador, em vez de refutar o verdadeiro argumento do seu opositor/interlocutor ataca ou refuta uma versão simplificada, mais fraca e deturpada desse argumento, a fim de ser mais fácil de rebater a tese oposta.

Filosofia 11.º Ano – Exemplos: Falácia da Derrapagem ou Bola de Neve

Exemplos de Falácias Informais: Falácia da Derrapagem ou Bola de Neve

– É péssimo que jogues a dinheiro. Se o fizeres, vais viciar-te no jogo. Desse modo, perderás tudo o que tens. Em consequência, se não quiseres morrer à fome, terás de roubar.

– Se eu abrir uma exceção ao João, depois o André vai querer e tenho de a abrir ao André. E se abrir uma exceção ao João e ao André, a Luísa também vai querer. E tenho que de abrir exceções a todos.
Logo, não posso abrir uma exceção para ti.

Filosofia 11.º Ano – Falácia da Derrapagem ou Bola de Neve

Falácias Informais:

– Falácia da Derrapagem ou Bola de Neve, é a falácia cometida sempre que alguém, para refutar uma tese, apresenta, pelo menos, uma premissa falsa ou duvidosa e uma série de consequências progressivamente inaceitáveis.