Geografia 7.º Ano – Escolhas Múltiplas: Caudal, Rede Hidrográfica, Colinas e Agentes Internos.

1. Seleciona com um círculo (0) a opção correta.

1.1. Caudal é a

(A) quantidade de água que passa numa secção do rio, por segundo (m² /s).
(B) quantidade de água que passa numa secção do rio, por segundo (m3 /s).
(C) Quantidade de água que passa numa secção do rio, por minuto (m3 /s).

1.2. Rede hidrográfica é…

(A) a linha de interflúvio, que separa as várias bacias hidrográficas.
(B) a área drenada por um rio principal e pelos seus tributários.
(C) o conjunto formado por um rio principal e pelos seus afluentes e subafluentes.

1.3. As colinas são formas de relevo…

(A) de média ou elevada altitude, superior a 200 metros, com topos relativamente planos.
(B) arredondadas e de altitude geralmente inferior a 400 metros.
(C) de elevada altitude, normalmente superior a 1000 metros, com vertentes inclinadas.

1.4. Agentes internos são

(A) . a água, as diferenças de temperatura e os seres vivos que, além de a desgastarem, transportam e acumulam os materiais daí resultantes.
(B) movimentos da crosta terrestre, que originam erupções vulcânicas, que desgastam, transportam e acumulam os materiais daí resultantes
(C) movimentos da crosta terrestre, que originam erupções vulcânicas responsáveis pela formação de algumas montanhas.
.
.
.
.
.

Soluções:
1.1. A
1.2. C
1.3. B
1.4. A

Exame Nacional Filosofia 2019 – 1.ª Fase: Escolhas Múltiplas

GRUPO I
1. Considere as afirmações seguintes.

1. As pessoas que não ponderam as consequências dos seus atos não merecem ter liberdade.
2. Nas democracias, os cidadãos têm mais liberdades do que nos outros regimes políticos.

(A) Nenhuma das afirmações é relevante para a discussão do problema do livre-arbítrio.
(B) Ambas as afirmações são relevantes para a discussão do problema do livre-arbítrio.
(C) Apenas a afirmação 1 é relevante para a discussão do problema do livre-arbítrio.
(D) Apenas a afirmação 2 é relevante para a discussão do problema do livre-arbítrio.

2. Imagine que quer ouvir música e que, em seguida, põe os auscultadores e ouve música.
De acordo com o determinismo radical, o facto de querer ouvir música

(A) é um indício de livre-arbítrio apenas se não foi sujeito a coação.
(B) não tem qualquer conexão com uma suposta vontade livre.
(C) resulta de uma causa mental independente da natural.
(D) não tem uma causa, sendo um mero produto do acaso.

3. Imagine que o Luís precisa urgentemente de medicamentos e que a única maneira de os conseguir é pedir dinheiro emprestado a um amigo rico, sem ter a intenção de lho pagar. Neste caso, o Luís decidiu adotar a máxima «faz promessas enganadoras quando não há outra forma de resolver os teus problemas pessoais».
Esta máxima pode ser usada para fazer uma crítica à ética kantiana, dado ser razoável argumentar que a máxima

(A) não é imoral, ainda que não seja racional querer universalizá-la.
(B) é imoral, ainda que venha a ter aprovação dos agentes envolvidos.
(C) não é imoral, embora seja um imperativo categórico condicional.
(D) é imoral, embora dê prioridade às consequências da ação.

4. De acordo com Mill,

(A) os prazeres físicos e sensuais nem sempre são inferiores.
(B) apenas os animais têm prazeres inferiores.
(C) devemos renunciar aos prazeres inferiores para não nos rebaixarmos à condição animal.
(D) são superiores os prazeres preferidos por quem tem competência para os apreciar.

(…)

Aqui estão quatro questões do exame nacional de Filosofia, 1.ª fase, de 2019, no Scribd podem consultar e guardar a ficha completa com todas as questões (doze no total) e as respectivas soluções.