Geografia 10.º Ano – Ficha de Trabalho: A evolução da população na 2ª metade do século XX

Ficha de Trabalho: A Evolução da População na 2ª Metade do Século XX – Taxa de Crescimento Natural, Taxa de Crescimento Migratório e Taxa de Crescimento Efetivo.

Observe atentamente o gráfico no qual estão representadas as taxas de crescimento natural, migratório e efetivo, por NUTs II, em 2011.

1. Distinga taxa de crescimento natural de taxa de crescimento efetivo.
2. Caracterize a situação de Portugal quanto aos três indicadores apresentados no gráfico.
3. Justifique o comportamento da NUT Alentejo relativamente à taxa de crescimento natural.
4. Explique o comportamento da NUT Algarve relativamente à taxa de crescimento migratório.

Soluções:
1. Taxa de crescimento natural corresponde à diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de
mortalidade numa dada área e num determinado período de tempo (normalmente um ano); taxa de
crescimento efetivo é a relação entre o crescimento efetivo e a população total.
2. Os três indicadores representados no gráfico mostram um decréscimo da população residente, na
medida em que, todos eles, apresentam valores negativos.
3. A NUT Alentejo apresenta uma taxa de crescimento natural negativa (-5,3%) o que se justifica pelo
facto de possuir uma população muito envelhecida.
4. A NUT Algarve possui uma taxa de crescimento migratório positiva o que se justifica pelo facto de ser
uma região com capacidade de atração a nível de emprego no turismo e de fixação de população
reformada oriunda dos países do norte da Europa.

Notícias – Póvoa de Varzim: Hospital chega ao parto 1000 pela primeira vez em 7 anos

O Serviço de Obstetrícia do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim – Vila do Conde (CH) realizou hoje o parto número 1000 do ano de 2018.

A pequena Diana nasceu às 10h40 de parto natural. Os pais, Luís e Kateryna, vivem no Porto e escolheram o CH pelas “boas práticas implementadas, quer no nascimento, quer no período de preparação para o parto”, refere o hospital em comunicado.

Desde 2011 que esta marca dos 1000 não era atingida. Para o CH, ela traduz “o trabalho que tem vindo a ser implementado pelo Serviço de Obstetrícia”, e o Conselho de Administração enaltece “o investimento feito nas práticas de excelência, bem como o brio e o empenho de todos os profissionais”.

Em paralelo, o agradecimento é reiterado “junto dos casais que escolhem o CH para o nascimento dos seus bebés, confiando na excecional equipa que eleva a um patamar de referência esta vertente essencial da missão de cuidar”.

Fonte: Mais Semanário, consultado a 26 de dezembro de 2018