Exame Nacional de Geografia 2021 – 2.ª Fase – Agricultura, Olival, Montado, Hidroponia

Exame Nacional de Geografia 2021 – 2.ª Fase – Versão 1
Questão 4

4. O Alentejo, ao longo dos últimos anos, tem registado modificações na atividade agrícola: a barragem de Alqueva e as estufas permitiram mudanças na prática agrícola, que, conjuntamente com o montado, diversificam a paisagem agrária.
Na Figura 4, observam-se três fotografias de paisagens agrárias do Alentejo.

4.1. A plantação de olival, de que é exemplo a paisagem da Fotografia A, da Figura 4, é praticada em sistema de monocultura
(A) extensivo e de regadio.
(B) intensivo e de sequeiro.
(C) extensivo e de sequeiro.
(D) intensivo e de regadio.

4.2. O cultivo em estufas, como o ilustrado na Fotografia B da Figura 4, visa, entre outros aspetos,
(A) adequar as culturas temporárias às condições edafoclimáticas da região.
(B) aproveitar as reservas de água doce dos aquíferos para a utilização na rega.
(C) permitir a produção em períodos fora da época do ciclo vegetativo normal.
(D) potenciar a insolação, para intensificar a produção de hortofrutícolas na época estival.

4.3. Identifique as duas afirmações verdadeiras, com base na análise das fotografias da Figura 4 e no conhecimento sobre as áreas rurais.
I.  Nas estufas, a hidroponia é uma técnica que se adequa à produção de culturas hortofrutícolas.
II. O sistema de montado acentua a desertificação na região do Alentejo.
III. A criação extensiva do porco ibérico é um entrave à certificação dos produtos derivados.
IV. As técnicas de produção utilizadas no olival contribuem para o aumento da produtividade.
V. O trabalho agrícola é dificultado pela morfologia do relevo dominante na região do Alentejo.

4.4. O montado é um sistema agro-silvo-pastoril de grande valor natural, económico e social. Embora sejam valorizados diversos produtos, destaca-se a cortiça pelo seu valor económico.
Justifique a importância da cortiça nacional para a economia do país, apresentando dois argumentos.

4.5. As Imagens A e B correspondem à mesma área rural em dois anos diferentes, 2004 (A) e 2019 (B).

Duas das alterações na paisagem agrária visíveis na área da Imagem B, decorrentes da construção de estufas, são
(A) a densificação dos caminhos rurais e a maior regularidade das parcelas agrícolas.
(B) a intensificação do sistema de cultivo e a maior regularidade das parcelas agrícolas.
(C) a intensificação do sistema de cultivo e a maior dispersão do povoamento rural.
(D) a densificação dos caminhos rurais e a maior dispersão do povoamento rural.

Correcção: Aqui
Fonte: Iave, consultado a 15 de setembro de 2021

Exame Nacional de Geografia 2021 – 1.ª Fase – Áreas de Reabilitação Urbana (ARU), Requalificação, Renovação, Reabilitação, Malha Urbana, Plantas Urbanas

Exame Nacional de Geografia 2021 – 1.ª Fase – Versão 1
Questão 5

5. O município da Guarda estabeleceu as Áreas de Reabilitação Urbana (ARU), com uma área total de 252,36 ha. A intervenção urbana abrange a requalificação de arruamentos, iluminação pública, infraestruturas subterrâneas, habitação, zonas verdes e edifícios públicos.
Na Figura 4, está representada a proposta de delimitação da ARU, na cidade da Guarda e área envolvente, no período de 2015-2025.

5.1. O Hospital Sousa Martins localiza-se, de acordo com a Figura 4,
(A) no limite da ARU, na proximidade de bons acessos rodoviários.
(B) no limite do centro histórico, com elevada densidade de construção.
(C) na cintura externa à ARU, com vastos espaços verdes.
(D) na cintura interna da ARU, na proximidade de edifícios históricos.

5.2. De acordo com a Figura 4, a morfologia urbana representada na área assinalada pela letra A apresenta características de
(A) apenas um tipo de malha urbana: ortogonal.
(B) dois tipos de malha urbana: irregular e ortogonal.
(C) apenas um tipo de malha urbana: semirradioconcêntrica.
(D) dois tipos de malha urbana: irregular e semirradioconcêntrica.

5.3. As intervenções urbanas definidas na ARU visam, entre outros objetivos,
(A) qualificar o espaço público, aumentando a área de estacionamento.
(B) criar novos acessos rodoviários, fomentando os movimentos pendulares.
(C) valorizar o património histórico, atraindo o turismo de massas.
(D) melhorar as condições de habitabilidade, fixando a população residente.

Correcção: Aqui
Fonte: Iave, consultado a 15 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2021 – 1.ª Fase – Explorações Agrícolas, Número de Explorações, Explorações com Produção Florestal, Energia Renovável

Exame Nacional de Geografia 2021 – 1.ª Fase – Versão 1
Questão 3

3. Em Portugal, em 2016, 15,9 mil explorações agrícolas desenvolveram atividades lucrativas não agrícolas complementares à atividade agrícola, o que corresponde a 6,1% do total das explorações.
Na Tabela 1, são apresentados três indicadores referentes às atividades lucrativas não agrícolas complementares à atividade agrícola.

3.1. Indique a opção que corresponde ao sectograma que exprime o número de explorações, em percentagem, em 2016, com atividades lucrativas não agrícolas, apresentadas na Tabela 1.

3.2. De acordo com a Tabela 1, entre 2009 e 2016, verificou-se um maior crescimento do número de explorações com a atividade lucrativa não agrícola de
(A) produção de energias renováveis.
(B) artesanato e transformação de produtos agrícolas não alimentares.
(C) transformação de produtos agrícolas alimentares.
(D) turismo rural e atividades diretamente relacionadas.

3.3. A percentagem de explorações com produção florestal em 2016, no contexto das atividades lucrativas não agrícolas complementares à agricultura, explica-se, entre outras razões,
(A) pelo lucro proporcionado pelos subprodutos florestais.
(B) pela abundância de mão de obra disponível nas áreas rurais.
(C) pelo rendimento agrícola proporcionado pelos subprodutos da madeira.
(D) pela disponibilidade de emprego qualificado no sector florestal.

3.4. As atividades lucrativas não agrícolas complementares à atividade agrícola são geradoras de desenvolvimento nas áreas rurais, na medida em que podem
(A) aumentar substancialmente os custos de produção agrícola.
(B) valorizar os recursos endógenos em territórios de baixa densidade.
(C) ocupar os solos com maior aptidão produtiva agrícola.
(D) abastecer com maior regularidade os mercados grossistas.

3.5. Justifique, recorrendo a dois exemplos, a importância da produção de energia renovável como atividade lucrativa não agrícola da exploração, observada na Tabela 1.

Correcção: Aqui
Fonte: Iave, consultado a 13 de setembro de 2021.

Geografia: Linha da Frente – A invasão da Agricultura Insustentável vs Agricultura Biológica

Canal: RTP;
Programa: Linha da Frente;
Tema: A invasão da Agricultura Insustentável vs Agricultura Biológica;
Duração: 33:52

Fonte: RTP, consultado a 11 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – Época Especial – Agricultura, Regiões Agrárias

Exame Nacional de Geografia 2020 – Época Especial
Questões 3-5

3. Em Portugal, a agricultura continua a enfrentar constrangimentos e desafios.

3.1. As duas NUTS II da Figura 2 que apresentam produtores agrícolas com uma idade média inferior à média nacional, nos três anos considerados, são
(A) a Região Autónoma da Madeira e o Norte.
(B) a Região Autónoma dos Açores e o Norte.
(C) a Área Metropolitana de Lisboa e a Região Autónoma da Madeira.
(D) a Área Metropolitana de Lisboa e a Região Autónoma dos Açores.

3.2. De acordo com a Figura 2, podemos afirmar que, entre o ano de 2009 e o ano de 2016, a idade média do produtor agrícola aumentou
(A) um ano em todo o território nacional.
(B) dois anos em todas as NUTS II.
(C) três anos na Região Autónoma dos Açores.
(D) quatro anos na Região Autónoma da Madeira.

3.3. A idade média do produtor agrícola em Portugal, observada na Figura 2, constitui um dos fatores que limitam
(A) a adoção de técnicas agrícolas especializadas.
(B) a aplicação de capital financeiro e humano.
(C) a adoção de fertilizantes naturais.
(D) a difusão do saber experiencial e herdado.
Prova 719/E. Especial • Página 7/ 18

4. Em Portugal, as áreas ocupadas com a monocultura intensiva e superintensiva do olival têm vindo a aumentar, gerando impactes ambientais negativos.

Refira, justificando, dois impactes ambientais deste sistema de cultura em regiões como o Alentejo.

5. Considere as seguintes afirmações.

I. A fragmentação das explorações favorece o desenvolvimento rural em regiões agrárias como as de Entre Douro e Minho.
II. Nas aldeias da Rede de Aldeias de Xisto, a pluriatividade contribui para o aumento do êxodo rural.
III. A formação digital dos produtores agrícolas visa reduzir a ocupação da SAU.
IV. Modalidades do TER, como o turismo da natureza, contribuem para a redução da pegada ecológica.
V.  Os produtos agroflorestais das serras do Algarve contribuem para dinamizar a indústria agroalimentar de produtos regionais e locais.

As afirmações verdadeiras são
(A) II e IV.
(B) IV e V.
(C) III e V.
(D) I e III.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 10 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Vila Real de Santo António (V.R.S.A.), Algarve, Malha Urbana, Plantas Urbanas, Expansão Urbana, Investigação e Desenvolvimento (I&D), Efeitos das Alterações Climáticas

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Versão 1
Questões 10-11

10. A cidade de Vila Real de Santo António (V.R.S.A.), ilustrada na Figura 8, localiza-se no Algarve.

10.1. A malha urbana ilustrada na Figura 8 é
(A) irregular, porque as ruas estão dispostas com um traçado labiríntico, terminando em largos e praças.
(B) radioconcêntrica, porque predominam rotundas que redistribuem o trânsito e das quais irradiam ruas com larguras distintas.
(C) ortogonal, porque predomina um traçado em que as ruas são paralelas e perpendiculares entre si.
(D) radial hierarquizada, porque as ruas estão dispostas de forma circular, havendo ruas mais largas do que outras.

10.2. De acordo com a Figura 8, a expansão urbana de V.R.S.A. está condicionada a sul
(A) pela serra do Caldeirão.
(B) por uma zona húmida fluvial.
(C) pelo rio Guadiana.
(D) por uma área protegida.

11. As cidades são um dos maiores desafios do século XXI. Em Portugal, a maioria destes aglomerados terão uma procura crescente, o que poderá levantar problemas a vários níveis: social, ambiental, económico e de governança. É, pois, necessário que as cidades criem a sua identidade e, ao mesmo tempo, se tornem sustentáveis, devendo, para tal, recorrer à Investigação e Desenvolvimento (I&D), de modo a gerir com eficiência recursos como a energia, a água ou mesmo os resíduos que produzem.
Fonte: www.bcsdportugal.org (consultado em outubro 2019). (Texto adaptado)

11.1. Em Portugal, a construção de edifícios em espaço urbano deve contemplar técnicas que atenuem
os efeitos das alterações climáticas, como
(A) a integração de sistemas de tratamento de efluentes domésticos.
(B) a instalação de painéis fotovoltaicos orientados a norte.
(C) a utilização de materiais de construção bons condutores de calor.
(D) a aplicação de vidro simples nas fachadas dos prédios urbanos.

11.2. «Na cidade, a I&D é fundamental para transformar os resíduos em subprodutos que possam ser reutilizados». Nesta afirmação, está diretamente subjacente o conceito de
(A) capacidade de carga humana, em que se verifica uma elevada produção de resíduos por km2.
(B) mitigação carbónica, em que se pretende uma maior utilização de hidrocarbonetos.
(C) economia circular, em que se pretende uma gestão que aposta no aproveitamento de resíduos.
(D) pegada ecológica, em que se verifica uma maior transformação de resíduos per capita.

11.3. A criação de espaços verdes na cidade tem impactes positivos na qualidade de vida dos seus
habitantes.

Refira, justificando, dois desses impactes.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 10 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Bácias Hidrográficas, Rios, Barragens, Cais Fluvial dos Lentiscais, no Rio Pônsul e Barragem de Cedillo

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Versão 1
Questão 8

8. Na Figura 6, é possível observar o nível da água no cais fluvial dos Lentiscais, no rio Pônsul, em novembro dos anos de 2013 e de 2019. Em novembro de 2019, o nível de armazenamento na barragem de Cedillo (Espanha) diminuiu para 30% da sua capacidade máxima, com impactes económicos e ambientais.

8.1. Refira duas consequências, uma ambiental e outra económica, no troço final do rio Pônsul, decorrentes da situação descrita no texto introdutório e observada na Figura 6.

8.2. Uma das medidas para evitar a situação observada em novembro de 2019 no cais fluvial dos Lentiscais, representado na Figura 6, é
(A) a construção de outra barragem no rio Tejo, a montante da albufeira de Cedillo.
(B) a manutenção do nível do espelho de água da barragem de Cedillo.
(C) a ampliação da capacidade máxima de armazenamento da barragem de Fratel.
(D) a construção de uma nova barragem no rio Ocreza, subafluente do rio Tejo.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 10 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Agricultura – Bio-Regiões – PAC 2014-2020

Exame Nacional de Geografia 2020 – 2.ª Fase – Versão 1
Questão 6

6. As bio-regiões estão inseridas numa área geográfica onde os agricultores, os operadores turísticos, as associações, o poder local e restantes cidadãos assinaram um acordo para a gestão sustentável dos recursos locais, partindo de um modelo biológico e agroecológico.
Fonte: S. Basílio, Bio-Região: novo modelo de desenvolvimento rural, INNER,
in www.rederural.gov.pt (consultado em novembro de 2019). (Adaptado)

Considere a Figura 4, que se refere a algumas iniciativas desenvolvidas no âmbito das bio-regiões.

6.1. De acordo com a Figura 4, o desenvolvimento de projetos como o das bio-regiões é importante para os territórios envolvidos, porque contribui para
(A) valorizar a cooperação intermunicipal.
(B) aumentar a importação de produtos tradicionais.
(C) incrementar o autoaprovisionamento dos territórios.
(D) preservar os recursos exógenos.

6.2. Os territórios que fazem parte da Rede das Bio-Regiões, referidos na Figura 4, visam promover o desenvolvimento sustentável.
Considere as seguintes iniciativas.
I. Criação de infraestruturas de saneamento básico.
II. Requalificação do património histórico-cultural.
III. Organização de eventos desportivos.
IV. Prática de agricultura biológica.
V. Implementação do turismo religioso.

Identifique as duas iniciativas que estão associadas às bio-regiões, de acordo com a Figura 4.

6.3. Apresente, justificando, duas razões que mostrem a importância da realização de feiras raianas para a valorização dos produtos locais.

6.4. A PAC 2014-2020 tem incentivado medidas de proteção ambiental, por exemplo, através
(A) do recurso ao sistema agrícola monocultural.
(B) da ocupação do solo com hortas familiares.
(C) do uso regular de produtos de síntese.
(D) da manutenção do solo com prados permanentes.

6.5. A competitividade de alguns sectores da agricultura portuguesa, como o das frutas, legumes e flores, pode ser conseguida, por exemplo, através
(A) do recurso à hidroponia, como estratégia de adequação das sementes às características específicas do solo.
(B) da adoção de uma gestão racional e criteriosa do solo arável, de modo que as técnicas tradicionais sejam valorizadas.
(C) do apoio científico, que permite a seleção de espécies mais adaptadas às condições edafoclimáticas das regiões.
(D) da reestruturação fundiária, como o parcelamento das explorações, facilitadora da colocação de produtos no mercado.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 10 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Exploração Mineira, Lítio, Agricultura, Floresta, Ilha da Madeira, Socalcos e Levadas

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Versão 1
Questões 6 – 9

6. Na Figura 5A, estão delimitadas as unidades geomorfológicas e as áreas onde existem reservas de lítio em Portugal continental. Na Figura 5B, estão listados, de forma aleatória, constrangimentos e potencialidades da exploração do lítio.

6.1. O lítio é um metal localizado ______________ e está associado a minerais ______________, como o feldspato e o quartzo.
(A) na orla mesocenozoica ocidental … metálicos
(B) na orla mesocenozoica meridional … não metálicos
(C) no maciço antigo … não metálicos
(D) no maciço antigo … metálicos

6.2. Os constrangimentos da exploração do lítio correspondem, na Figura 5B, aos números
(A) II, IV e V.
(B) III, IV e VI.
(C) I, III e VI.
(D) I, II e V.

7. O Documento A refere-se à utilização das tecnologias de precisão no sector agrícola e florestal.

7.1. As tecnologias utilizadas na agricultura de precisão, referidas no texto do Documento A, permitem alterações
(A) na morfologia agrária, porque favorecem o parcelamento da propriedade.
(B) no sistema de cultura, porque asseguram a preservação das culturas tradicionais.
(C) no sistema de cultura, porque permitem gerir com mais eficácia os fatores de produção.
(D) na morfologia agrária, porque valorizam formas de exploração por conta própria.

7.2. Os drones (veículos aéreos não tripulados) possibilitam a observação em tempo real e a gravação de imagens.

Refira, justificando, duas utilizações de drones em contextos como o ilustrado na Fotografia I do Documento A.

7.3. Um dos problemas da agricultura portuguesa que podem comprometer a prática da agricultura de precisão é
(A) a adesão da maioria dos agricultores ao associativismo agrário.
(B) o individualismo socioprofissional dos produtores agrícolas jovens.
(C) a iliteracia digital de um elevado número de produtores agrícolas.
(D) o predomínio de explorações agrícolas de grande dimensão.

7.4. A fixação de unidades agroindustriais em territórios do interior de Portugal continental de elevada debilidade socioeconómica é importante, porque
(A) reduz a necessidade de transporte dos produtos transformados.
(B) diversifica o tecido empresarial nas áreas rurais.
(C) liberaliza o mercado associado aos produtos agrícolas.
(D) encurta a distância entre a origem da matéria-prima e o mercado.

8. Em Alcácer do Sal, a produção biológica de mirtilos, de elevado valor unitário, destina-se principalmente à exportação para países do Norte da Europa, recorrendo a transporte especializado.

Selecione os dois meios de transporte mais adequados à exportação de mirtilos, considerando a garantia da qualidade do produto.
a) camião refrigerado;
b) comboio de mercadorias;
c) navio porta-contentores;
d) navio graneleiro;
e) avião de carga.

9. Leia o texto seguinte.
As paisagens agrárias da ilha da Madeira refletem a adaptação dos sistemas de cultura ao clima e ao relevo. Os socalcos permitem suster os solos agrícolas nas vertentes onde predomina o declive suave (Frase I). As levadas facilitam o transporte de água das áreas de maior altitude para as de menor altitude, aproveitando a ação da gravidade. Na vertente norte, dominam as culturas tropicais, como, por exemplo, a bananeira (Frase II).

As duas frases sublinhadas no texto (I e II) apresentam, cada uma, um erro científico.
Identifique os erros, justificando a sua resposta.

Correcção: AQUI
Fonte: Iave, consultado a 8 de setembro de 2021.

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Deslocalização, Renovação, Reabilitação, Requalificação, Ciclovias e Áreas Verdes

Exame Nacional de Geografia 2020 – 1.ª Fase – Versão 1
Questão 3

3. A presença de ruínas e terrenos vacantes (vazios) em Lisboa Oriental deve‑se, principalmente, à história da ocupação desta área da cidade. Toda a ocupação urbana da faixa ribeirinha até Braço de Prata foi propulsionada pelo surto industrial do século XIX. É dessa fase uma geração mais antiga de fábricas de que resistem ainda vestígios vários de arqueologia industrial na paisagem, em associação com restos de diversas tipologias de habitação operária.

Fonte: E. Brito-Henriques et al., Os espaços abandonados na cidade: alternativas aos modelos convencionais de recuperação da
paisagem urbana, Lisboa, IGOT, UL, 2017, pp. 10-11, in repositorio.ul.pt (consultado em novembro de 2019). (Texto adaptado)

3.1. As Figuras 2A, 2B e 2C apresentam escalas diferentes.
Selecione a opção que ordena as figuras da maior para a menor escala.
(A) 2B; 2A; 2C.
(B) 2A; 2B; 2C.
(C) 2A; 2C; 2B.
(D) 2B; 2C; 2A.

3.2. No contexto da mobilidade urbana, a construção de vias cicláveis, como a ilustrada na Figura 2D, tem constituído uma aposta do município de Lisboa.
Esta medida permite atenuar problemas urbanos como
(A) o tráfego interurbano nas horas de ponta.
(B) a intensidade de trânsito nas vias rápidas.
(C) a dificuldade de circulação de veículos pesados.
(D) o congestionamento do trânsito citadino.

3.3. A existência de espaços verdes, como os ilustrados nas Figuras 2C e 2D, é importante, porque
(A) aumenta a compactação daquela área urbana.
(B) preserva a capacidade de infiltração da água no solo.
(C) diminui a concentração de azoto na troposfera.
(D) reduz o grau de humanização das áreas urbanas.

3.4. A Tabaqueira, que inicialmente se localizava no edifício da Figura 2A, deslocou-se para fora dmunicípio de Lisboa.

Esta deslocalização pode ser explicada, principalmente,
(A) pela falta de espaço para expansão da unidade funcional.
(B) pela distância aos principais mercados consumidores.
(C) pelo afastamento das fontes de matéria-prima.
(D) pelo baixo grau de qualificação da mão de obra.

3.5. O antigo edifício da Tabaqueira, observado na Figura 2A, carece de requalificação, o que pode contribuir para dinamizar a área da cidade onde o imóvel se integra.

Duas medidas possíveis de operacionalizar a requalificação são:
A – a criação de um centro sociocultural;
B – a criação de um centro de negócios.

Selecione uma das medidas, A ou B. De acordo com a medida selecionada, apresente duas razões,
explicando de que modo justificam a escolha dessa medida.

Correcção: AQUI
Fonte: IAVE, consultado a 8 de setembro de 2021