Filosofia 10.º Ano – Exame Nacional: Valores

Questões de Escolhas Múltiplas – Exame Nacional de Filosofia – Valores

1 – Os relativistas acerca dos valores defendem que:
(A) a correção dos juízos de valor depende da cultura e, assim, o que é correto numa cultura pode não o ser noutra.
(B) todos os valores são relativos e, por isso, nenhum juízo de valor é correto ou incorreto.
(C) nenhuma cultura tem valores coincidentes com os valores de outra cultura.
(D) a correção dos juízos de valor depende inteiramente do que é aprovado nas sociedades mais evoluídas.

2 – Considere as afirmações seguintes.
1. Ocorrem acidentes de viação por excesso de velocidade.
2. É errado não reduzir os limites legais de velocidade.
É aceitável defender que,
(A) em 1, é formulado um juízo de valor que pode justificar o juízo de facto formulado em 2.
(B) em 2, é formulado um juízo de valor que explica o juízo de facto formulado em 1.
(C) em 2, é formulado um juízo de facto que explica o juízo de valor formulado em 1.
(D) em 1, é formulado um juízo de facto que pode justificar o juízo de valor formulado em 2.

3 – Identifique o par de termos que permite completar adequadamente a afirmação seguinte.
Os juízos de facto são essencialmente _______, distinguindo-se dos juízos de valor, que são essencialmente
_______.

(A) descritivos … normativos
(B) objetivos … subjetivos
(C) verdadeiros … relativos
(D) concretos … abstratos

4 – Para um relativista, a liberdade de expressão será um valor:
(A) se gozar de aprovação social.
(B) se for uma preferência informada.
(C) se tiver uma justificação objetiva.
(D) se resultar de uma escolha imparcial.

5 – O relativismo acerca dos valores pode ser criticado por
(A) ter em conta a diversidade cultural.
(B) afirmar que os valores são universais.
(C) não considerar o que é socialmente aprovado.
(D) não explicar a possibilidade de progresso moral.

Soluções:

1 – (A); 2 – (D); 3 – (A); 4 – (A); 5 – (D).

Filosofia 10.º Ano – Questões de Exame Nacional: Valores

Questões de Exame Nacional de Filosofia
– Valores

1 – É um facto que há diferenças culturais e que há pessoas com opiniões muito diferentes em relação a valores.
Será que este facto mostra que não há valores objetivos?
Na sua resposta, deve:
‒ identificar inequivocamente a perspetiva que defende;
‒ argumentar a favor da perspetiva que defende.

2 – Enquanto acto de autoprotecção […], podemos fazer o que for necessário para nos defendermos, mesmo que isso implique a morte do atacante […]. O efeito bom é a preservação da nossa vida, sendo o efeito mau a perda da vida do atacante.
David S. Oderberg, Ética Aplicada, Lisboa, Principia, 2009, p. 233

2.1. Relacione a noção de preferência valorativa com a situação descrita no Texto.
2.2. Dê um exemplo de outra situação de conflito de valores.

Fonte: IAVE, consultado a 18 de junho de 2017

Filosofia 10.º Ano – Etnocentrismo, Relativismo Cultural, Tolerância

10.º ano
– Valores e valoração – a questão dos critérios valorativos:
• Etnocentrismo, Relativismo Cultural, Tolerância.

Etnocentrismo, visão centrada ou egocêntrica de uma cultura em relação às outras. Avalia as outras culturas a partir de si própria, dos seus valores e padrões de comportamento.
O etnocentrismo promove a assimilação:
• As culturas dominantes tendem a impor os seus valores e modelos de comportamento às culturas minoritárias.
• Esta imposição pode ter como consequências, o racismo a xenofobia, nacionalismo exagerado.

Relativismo cultural, aceita e respeita a diversidade cultural. Cada cultura só pode ser avaliada a partir de dentro, isto é, dos seus valores, ideias e padrões de comportamento.
O relativismo cultural promove a separação:
• Há diferentes culturas que se toleram, mas que vivem de costas voltadas, sem contacto entre si, e que tendem a separar-se ou isolar-se
• Esta separação tem como consequências a ocorrência de fenómenos de segregação, como por exemplo, os guetos.

O relativismo cultural apela à tolerância para com o outro culturalmente diferente.
Ser tolerante significa, neste sentido, conviver pacificamente com os outros, respeitando as suas diferenças.
A tolerância defendida pelo relativismo é classificada como passividade face ao outro, ou mera simpatia.
A tolerância só pode existir segundo condições próprias: as da disponibilidade para o diálogo e para o raciocínio honesto.

Os problemas culturais exigem outro tipo de resposta, surgem atualmente propostas que defendem o diálogo intercultural, a cooperação solidária e a defesa da dignidade humana.

A atitude intercultural, que pretende ultrapassar as limitações das atitudes etnocêntrica e relativista, defende:
• Reconhece a natureza plural e diversificada da cultura humana.
• Promove o contato entre as diferentes culturas.
• Acredita que existem vínculos que unem as diferentes comunidades.
• Defende ser possível compartilhar valores e estabelecer normas de convivência.
• Assume a universalidade dos direitos humanos.
• Exige a prevenção de conflitos.
• Aposta na educação para a interculturalidade.

– O respeito pelos direitos humanos convida ao diálogo, à tolerância e à solidariedade.