Geografia 10.º Ano – Os recursos dos subsolo português “O petróleo do fundo do mar português”

Leia atentamente o texto seguinte.

O petróleo do fundo do mar português.
Os dados científicos indicam que terão sido geradas quantidades significativas de petróleo nas bacias Lusitânica e Porto, como mostram as numerosas manifestações superficiais e indícios encontrados em sondagens. Na bacia do Algarve, os indícios de petróleo encontrado são menos significativos, apesar de, em duas das cinco sondagens perfuradas até hoje, terem sido detetados indícios de gás natural. Quanto à bacia do Alentejo e às restantes cinco bacias exteriores (no deep-offshore), nada pode ser afirmado perentoriamente, uma vez que nunca foram perfuradas, embora existam razoes para acreditar na existência de um sistema petrolífero nestas bacias.
Fonte: CORREIA, Armando J. D. – O Mar no Século XXI, FEDRAVE, 2010 (adaptado)

1. Justifique a importância da eventual existência de petróleo em território nacional.
2. Aponte dois fatores que possam vir a condicionar a sua exploração futura.
3. Identifique alguns dos riscos associados à exploração deste recurso, referindo:
– riscos ambientais;
– riscos relacionados com o objetivo da Política Energética Nacional de reforçar a diversificação das fontes primárias de energia.

Geografia 10.º Ano – Recursos do Subsolo: O lítio em Portugal.

O que é e porque há uma corrida ao lítio?

É apelidado de “petróleo branco”, o lítio ganhou revelo ao ser usado no fabrico de baterias. Várias análises confirmaram a existência em Portugal de uma das maiores reservas daquele mineral da Europa.
O lítio (Li) foi descoberto em 1817. O inglês Humphry Davy isolou-o através da electrólise, um método ainda usado para obter lítio puro. Começou a ser utilizado comercialmente em 1923 na cerâmica e na medicina, tornando-se depois essencial na aeronáutica e na electrónica.
Além dos jazigos minerais de espodumena, petalite, ambligonite e lepidolite, como no caso português, o lítio também pode ser extraído de lagos salgados, nomeadamente dos Himalaia e dos Andes (Chile, Argentina e Bolívia).
Qual a importância dos depósitos de lítio em Portugal?

As reservas de lítio em Portugal são uma das maiores na Europa e as sextas a nível mundial. Existem, pelo menos, 12 as áreas consideradas de elevado potencial no centro e no norte do país. No total, há 79 municípios com requerimentos de prospeção e pesquisa de lítio.

Notícia completa: O que é e porque há uma corrida ao lítio?

Fonte: Rádio Renascença, consultado a 23 de fevereiro de 2020.

Preparação para o Exame Nacional de Geografia: Recursos do Subsolo

1. Classifique, como verdadeira ou falsa cada uma das seguintes afirmações. Corrija as afirmações
consideradas falsas mantendo-as na afirmativa.
a) Nas Regiões Autónomas dominam as rochas de origem vulcânica, pelo que se exploram os basaltos ornamentais e a pedra-pomes.
b) Os recursos geológicos explorados em Portugal destinam-se, exclusivamente, à produção industrial.
c) Em Portugal, não existe uma significativa diversidade de recursos hidrominerais, apesar da
complexa e variada geologia do país.
d) Os combustíveis fósseis são importados na totalidade, representando mais de 1/3 do saldo negativo da nossa balança comercial.
e) Em Portugal ainda não foi requalificado o espaço de nenhuma mina.

Soluções: Continuar a ler Preparação para o Exame Nacional de Geografia: Recursos do Subsolo

Geografia 10.º Ano – Perguntas de Exames Nacionais: Recursos do Subsolo

Geografia A – Recursos do Subsolo

Questões de Escolha Múltipla:

1 – O que é que o palácio de Versalhes, em França, o Ground Zero, em Nova Iorque, o edifício do Banco Mundial, no Catar, ou a sede da Petro China, em Pequim, podem ter em comum? Pedra portuguesa.

O mapa da Figura 2 representa a localização dos principais núcleos de exploração de rochas ornamentais, em Portugal continental

1. A maioria das explorações de rochas ornamentais, de acordo com o mapa da Figura 2, localiza-se
(A) na Orla Meridional.
(B) na Bacia do Tejo e do Sado.
(C) na Orla Ocidental.
(D) no Maciço Antigo.

2. A procura internacional de rochas ornamentais portuguesas está associada à

(A) pouca utilização das rochas no mercado nacional.
(B) forte incorporação de design nacional nas peças exportadas.
(C) boa relação qualidade/preço da pedra nacional.
(D) grande dimensão das empresas nacionais do sector.

3. A exploração de recursos do subsolo em minas e em pedreiras gera impactes ambientais como

(A) a descida do nível freático e o aumento de incidência de doenças respiratórias.
(B) a alteração da morfologia do terreno e a contaminação das águas.
(C) a degradação da paisagem e o esgotamento dos solos.
(D) a produção de resíduos perigosos e a redução dos níveis de segurança no trabalho.

4. O sector dos minerais metálicos que, a seguir ao das rochas ornamentais, tem registado maior crescimento engloba a exploração

(A) de cobre, de zinco e de estanho.
(B) de urânio, de ardósia e de quartzo.
(C) de cobre, de urânio e de quartzo.
(D) de ardósia, de estanho e de zinco.

5. A localização de fábricas de produtos cerâmicos no distrito de Aveiro deveu-se, inicialmente, à

(A) proximidade do porto de Aveiro, por onde chega a maior parte das matérias-primas.
(B) abundância de caulinos e de argilas, as principais matérias-primas destas indústrias.
(C) forte concentração de empresas de construção civil que utilizam esses produtos.
(D) utilização de novos materiais, desenvolvidos em colaboração com a universidade.

Fonte: IAVE, consultado a 18 de junho de 2017