Tipos de Chuva: Chuvas Orográficas ou Relevo

Chuvas Orográficas ou Relevo
– Resulta da ascensão do ar ao longo das vertentes das montanhas.
Este tipo de precipitação pode ocorrer em vertentes barlavento – estão expostas aos ventos marítimos, por isso, são muito húmidas e chuvosas.
– Exemplo: Cordilheira Central e serras do noroeste português como a serra do Gerês e da Peneda.


Legenda: Chuvas Orográficas ou Relevo
Fonte: Porto Editora

Geografia 7.º Ano – Tipos de Chuva: Chuvas Convectivas

Chuvas Convectivas:
– Resulta da ascensão do ar causada pelo seu aquecimento, após ter contactado com uma superfície mais quente. Ao aquecer, torna-se mais leve e ascendente.
– Exemplo: interior dos continentes das zonas temperadas (muito frequente no verão).


Legenda: Chuvas Convectivas
Fonte: Porto Editora

Geografia 7.º Ano – Precipitação: Causas e Tipos

Quais as causas da variação da precipitação em latitude?
A distribuição da precipitação está muito associada à distribuição dos centros de altas e de baixas pressões atmosféricas.

Tipos de precipitação… quais são?
A diferença entre tipos de precipitação está no processo que obriga o ar a ascender. Depois de o ar ascender, os mecanismos que levam à ocorrência de precipitação são idênticos: o ar expande-se, arrefece até atingir o ponto de saturação, dá-se a condensação, formando-se as nuvens, podendo, então, ocorrer a precipitação.

Geografia 7.º Ano – Os fatores que influenciam a temperatura

A variação da temperatura com os fatores do clima:

– Latitude
• As regiões equatoriais são as mais chuvosas;
• A precipitação diminui à medida que nos deslocamos para as regiões tropicais;
• Nas regiões polares a precipitação é escassa.

– Altitude
• A precipitação é mais abundante na encosta exposta ao vento.

– Continentalidade e proximidade do mar
• Regiões próximas do mar apresentam mais humidade e por isso maior precipitação.

– Correntes Marítimas
•As correntes marítimas são deslocamentos horizontais e verticais de grandes extensões das águas oceânicas.
•Dependendo do lugar de origem, podem ser: quentes, se forem provenientes das regiões equatoriais e tropicais; frias, se provenientes das regiões polares;
Assim, se as correntes marítimas forem quentes, a temperatura dos lugares situados no litoral por onde passam vai ser mais elevada. Pelo contrario, se forem frias, a temperatura das áreas litorais vai ser menor.

– Relevo

• À medida que a altitude aumenta a temperatura diminui.
• A diminuição da temperatura em altitude deve-se:
•• à maior rarefação do ar, isto é, à menor concentração de gases e de partículas sólidas e líquidas no ar, diminuindo, então, a absorção de radiação solar; à menor influência da radiação terrestre, pois um lugar de maior altitude está menos próximo desta fonte de calor.
• As vertentes que estão expostas a sul são designadas soalheiras e, por isso, mais quentes.

Geografia 7.º Ano – Fatores do Clima

Fatores climáticos
• Latitude;
• Continentalidade/ Proximidade do mar;
• Altitude;
• Orientação das vertentes;
• Correntes marítimas.

Geografia 7.º Ano – Elementos do Clima

Os elementos do clima são:
• Temperatura;
• Humidade;
• Nebulosidade;
• Precipitação;
• Pressão atmosférica;
• Vento;
• Insolação.

Geografia 7.º Ano – Texto de Apoio: Estado do Tempo e Clima

O estado do tempo que se faz sentir numa localidade durante a manhã pode ser diferente do registado durante a tarde; do mesmo modo que o estado do tempo durante a manhã no centro de Portugal Continental pode ser completamente diferente do registado no norte ou no sul do país, bem como nos arquipélagos da Madeira e dos Açores.
Deste modo, o estado do tempo varia de momento para momento e de lugar para lugar. É, pois, mutável.
Quando numa região se verifica que ano após ano as características do estado do tempo se repetem de forma relativamente idêntica, por exemplo, que os invernos são frios e chuvosos e os verões quentes e secos, estamos a falar de clima.
Assim, por exemplo, o clima mediterrâneo possui um verão quente e praticamente sem chuva, dado que a maioria dos estados do tempo analisados para o estudo deste tipo de clima apresentam estas características.

Fonte: Porto Editora

Geografia 7.º Ano – Estado do Tempo e Clima

Frequentemente, utilizam-se os conceitos de estado do tempo e clima como sinónimos. No entanto, estes conceitos são bem distintos e a sua diferenciação está relacionada com o período de tempo que se tem em consideração na sua análise.

Estado de tempo e clima são noções diferentes:

Estado do tempo, estado da atmosfera, num determinado lugar e num curto período de tempo, resultante da conjugação de vários elementos do clima.

Clima, comportamento médio dos elementos climáticos durante, pelo menos, 30 anos.

Geografia 10º Ano – Irregularidade da distribuição da precipitação em Portugal

Conceitos fundamentais para o tema “irregularidade da distribuição da precipitação em Portugal:

Irregularidade: diversidade dos estados de tempo ao longo do ano (ao nível do tempo, espaço, distribuição da precipitação);
Distribuição espacial da precipitação: diminui de Norte para Sul, diminui do Litoral para o Interior;
Latitude: Norte é mais afectado pelas baixas pressões subpolares e sistemas frontais, Sul é condicionado pelas altas pressões subtropicais;
Relevo: os locais com maior precipitação coincidem com os locais com maior altitude, precipitações orográficas, barreiras de condensação;
Continentalidade (distância ao mar): Litoral mais exposto às massas de ar húmido, que acentua as diferenças entre Interior – Litoral.