Preparação para o Exame Nacional de Geografia: Áreas Urbanas

1. Classifique, como verdadeira ou falsa conda uma das seguintes afirmações. Corrija as afirmações
consideradas falsas mantendo-as na afirmativa.
a) As funções associadas ao CBD tendem a deslocalizar-se para outras áreas que, pela sua acessibilidade, se vão constituindo como novas centralidades.
b) Na fase centrífuga, a população diminui no centro da cidade e dá-se o crescimento demográfico e das atividades económicas das áreas urbanas envolventes.
c) A suburbanização tem alguns impactes territoriais negativos, como a destruição dos solos agrícolas e de solos ocupados com floresta e a falta de equipamentos sociais das novas áreas residenciais.
d) Nas respetivas áreas metropolitanas, os concelhos de Lisboa e do Porto foram os que registaram um maior crescimento demográfico nas últimas décadas.
e) Nas cidades, a saturação das diferentes infraestruturas nunca é problema porque estas, geralmente, expandem-se à medida das necessidades da população.

Soluções: Continuar a ler Preparação para o Exame Nacional de Geografia: Áreas Urbanas

Geografia 11.º Ano – Cidades Médias

– A rede urbana e as novas relações cidade-campo
• A reorganização da rede urbana

– O papel das cidades médias
O desenvolvimento de Portugal passa, entre outros fatores, pela reorganização do sistema urbano e pela revitalização das cidades médias.
Investir nas cidades médias poderá constituir uma estratégia para promover a fixação da população, a implantação de atividades económicas, valorizar os recursos endógenos e preservar o meio ambiente. Com este investimento, o país crescia de uma forma mais homogénea, combatia-se o despovoamento, o envelhecimento e a estagnação das áreas mais deprimidas.
PROSIURB (Programa de Consolidação do Sistema Urbano Nacional e Apoio à Execução dos Planos Diretores Municipais), criado com o objetivo de definir uma política de reordenamento do sistema urbano nacional, com a finalidade de atenuar as assimetrias nacionais.

O atenuar do crescimento das grandes aglomerações:
• Criação de uma rede policêntrica, constituída por centros de grande, média e pequena dimensão, distribuídos de uma forma mais equilibrada pelo território nacional e ligados entre si de forma articulada por relações de complementaridade.
• Tornar as cidades médias mais competitivas.
• Melhoria da rede viária.

Inserção da rede urbana europeia
• Portugal não possui nenhuma cidade com capacidade de afirmação a nível europeu, apesar de uma melhoria significativa, Porto e Lisboa encontram-se em posições secundárias.
• A hierarquização das cidades na rede internacional avalia-se através de vários critérios, como total de população, número de feiras e exposições de cariz internacional, tráfego aéreo, presença de sedes internacionais e outros critérios.