Exame Nacional Geografia 2018 – 1.ª Fase: Os recursos hídricos.

4. Na Figura 3, está representada a rede hidrográfica de Portugal continental, cujas características estão
relacionadas, entre outros fatores, com a natureza das rochas, com os acidentes tectónicos, com as
condições atmosféricas e com a intervenção humana. Também estão representadas as albufeiras do
Sabugal e de Meimoa, cujas cotas do nível base se encontram, respetivamente, a cerca de 760 metros e
a cerca de 560 metros.

4.1. De acordo com a Figura 3, os dois rios que apresentam os troços mais extensos com suscetibilidade
elevada a cheias e a inundações são
(A) o Tejo e o Mondego.
(B) o Tejo e o Sado.
(C) o Mondego e o Vouga.
(D) o Sado e o Vouga.

4.2. A suscetibilidade elevada a cheias e a inundações, representada na Figura 3, deve-se, principalmente,
(A) ao predomínio de relevo de vales largos e pouco encaixados.
(B) à ação da vegetação na retenção do escoamento superficial.
(C) ao perfil transversal do rio em forma de «V» fechado.
(D) à existência de rochas e solos permeáveis no leito do rio.

4.3. Considere as afirmações I, II e III, que se referem aos objetivos da construção de um transvase, como
o identificado na Figura 3, entre o rio Coa e a ribeira de Meimoa.
Selecione a opção que identifica corretamente as afirmações verdadeiras e as falsas.
I. O transvase contribui para atenuar o défice hídrico na albufeira de Meimoa, que abastece o
projeto agrícola da Cova da Beira.
II. O transvase contribui para aumentar a disponibilidade hídrica na bacia do rio Tejo.
III. O transvase contribui para aumentar o caudal do rio Coa.
(A) II é verdadeira; I e III são falsas.
(B) I e II são verdadeiras; III é falsa.
(C) I e III são verdadeiras; II é falsa.
(D) III é verdadeira; I e II são falsas.

5. Um dos objetivos da construção de barragens com albufeira de retenção é minimizar os efeitos da
irregularidade da precipitação.
Refira duas funções das barragens que permitem concretizar esse objetivo.

No Scribd podem consultar e guardar a ficha e as respectivas soluções.

Geografia – Exercícios de Preparação para o Exame Nacional: Precipitação

Grupo I
Os mapas representam a altitude e a distribuição da precipitação em Portugal continental.

1. O fator climático mais influente na distribuição da precipitação, subjacente na imagem anterior, é a
(A) latitude.
(B) altitude.
(C) disposição do relevo.
(D) proximidade/afastamento do oceano.

2. A natureza do relevo observado é
(A) convectivo.
(B) discordante.
(C) orográfico.
(D) concordante.

3. Uma das serras que atravessa o território continental, segundo o corte AB é a
(A) Serra da Estrela.
(B) Serra do Gerês.
(C) Serra do Marão.
(D) Serra do Montesinho.

4. Os baixos valores de precipitação verificados em Trás-os-Montes são condicionados
(A) apenas pela barreira de condensação.
(B) pela influência da latitude, devido à perturbação da frente polar que afeta o interior.
(C) pela barreira de condensação e pela influência dos ventos secos de leste.
(D) pela influência da altitude e devido à influência das altas pressões subtropicais.

[…]

Aqui estão quatro questões de preparação para o exame, no Scribd podem consultar e guardar a ficha completa com todas as questões (catorze no total) e as respectivas soluções.

Geografia 7.º Ano – Grandes formas do relevo terrestre

Grandes formas do relevo terrestre:

– Os montes Apalaches (E.U.A.);
– A cordilheira dos Himalaias (Ásia);
– A cordilheira dos Andes (América do Sul);
– Sierra Madre (México);
– Pirenéus (Europa);
– Alpes (Europa);
– Montes Urais (Fronteira Europa – Ásia);
– Planalto do Decão (Índia);
– Planalto de Etiópia (Etiópia);
– Planície Australiana (Austrália);
– Planície Siberiana (Rússia);
– Planície Central Europeia (Europa);
– Planície do Mississípi (E.U.A.);
– Planície Amazónica (América do Sul);
– Planície da China (China);
– Planície do Paraná (América do Sul);
– Os montes Atlas (Norte de África – Marrocos).


Legenda: Grandes formas do relevo terrestre

Notícias – Jovens activistas do clima convidam Greta Thunberg a vir a Portugal

Grupo português pede ajuda a Greta Thunberg para alertar os políticos portugueses sobre o risco ambiental de construir um aeroporto no Montijo, e outros problemas nacionais causados pela poluição e o aquecimento global.
Os jovens portugueses que participam no movimento Greve Climática Estudantil querem a activista adolescente Greta Thunberg em Portugal e enviaram uma carta aberta a convidá-la. Parte do objectivo é ajudar o grupo a alertar os políticos portugueses sobre o perigo de decisões como a construção de um novo aeroporto no Montijo e o desaparecimento de árvores no sul do país devido às mudanças climáticas.
Como Thunberg vai estar em Madrid entre 2 e 13 de Dezembro para a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP25), a ideia é que a jovem faça um desvio por Portugal alguns dias antes.

Notícia completa: Greta Thunberg – Portugal

Fonte: Público, consultado a 10 de novembro de 2019.

Geografia 7.º Ano – Principais formas de relevo

Principais formas de relevo:

– Montanha:
forma de relevo de grande altitude, normalmente superior a 1000 metros, com declives acentuados.
Exemplos: Montanhas Rochosas, no continente americano; Montanhas do Cáucaso, no continente europeu; Quilimanjaro, no continente africano, Himalaias, no continente asiático.

– Planalto:
forma de relevo com altitudes superiores a 100 metros, em relação à área circundante, com o topo aplanado, muitas vezes rodeada por vertentes íngremes.
Exemplos: Planalto Central da Rússia, no continente europeu; Planalto do Tibete, no continente asiático.

– Colina:
pequena elevação de cume mais ou menos arredondado e de vertentes pouco íngremes, geralmente inferiores a 400 metros.
Exemplos: Colina Escocesa, no continente europeu.

– Planície:
forma de relevo geralmente extensa, com altitudes médias inferiores a 300 metros tendo, por isso, uma aparência plana com suaves ondulações.
Exemplos: Grandes Planícies, no continente americano; Planície Húngara, no continente europeu; Planície Amazónica, no continente americano (América do Sul).

– Vale:
forma de relevo resultante da junção de duas vertentes, com uma altitude inferior à das áreas envolventes.
Exemplos: Vale do Douro, no continente europeu.

Geografia 7.º Ano – Climas pelo Mundo: Climas Frios e de Montanha

Climas pelo Mundo: Climas Frios e de Montanha

Clima Polar

– Temperaturas médias mensais negativas na maior parte dos meses do ano;
– Amplitude térmica anual muito elevada;
– Precipitação anual reduzida, sendo mais abundante nos meses menos frios;
– Invernos extremamente frios e bastante longos. Inexistência de Verão. Só existe, na prática, uma estação: a fria;
– A formação vegetal típica das regiões de clima polar é a tundra;
– A maior parte do ano a tundra encontra-se gelada e a vegetação entra em repouso. Os animais herbívoros migram para regiões mais quentes e pouco são os animais que ficam ou não hibernam;
– Ursos brancos deslocam-se na tundra gelada do norte do Canadá;
– As regiões de clima polar ou de calota gelada, como na Antártida ou na Gronelândia, raramente não têm uma cobertura de gelo.
– A vida vegetal está praticamente ausente.

Clima Subpolar

– Verões pouco quentes e curtos (temperatura média mensal inferior a 18 ºC);
– Invernos prolongados e rigorosamente frios (durante cerca de seis a oito meses, a temperatura desce abaixo dos 0 ºC);
– Amplitude térmica anual bastante acentuada;
– Precipitação bastante reduzida e concentrada na época menos fria. No Inverno, ocorre sob a forma de neve;
– A formação vegetal típica das regiões de clima subpolar é a floresta de coníferas.

Clima Desértico Frio

– Temperatura média anual relativamente baixa, chegando a atingir valores negativos;
– Inverno muito frio e rigoroso;
– Amplitude térmica anual muito alta;
– Precipitação escassa e irregular;
– A formação vegetal típica das regiões de clima desértico frio é a estepe ou vegetação xerófila.

Clima de Altitude – Montanha

– Não se distinguem as estações;
– Nas regiões temperadas há precipitações abundantes em forma de neve;
– Nas regiões quentes há pouca precipitação e raramente sob a forma de neve;
– La Paz (Bolívia): TMA: 11ºC | ATA: 4ºC | PT: 570 mm;
– Sonnblick (Áustria): TMA: -6ºC | ATA: 14ºC | PT: 1483 mm.

Geografia 7.º Ano – Climas pelo Mundo: Climas Temperados

Climas pelo Mundo: Climas Temperados

Clima Subtropical Húmido
– Característico de regiões de latitudes 25º a 35º norte e sul, nas áreas orientais dos continentes.
– A formação vegetal típica é a floresta mista.

Clima Mediterrâneo
– Localiza-se nas regiões de latitudes médias, entre 30º a 40º norte e sul, nas áreas ocidentais dos continentes;
– Quatro estações;
– Invernos amenos e verões quentes e secos;
– Amplitudes térmicas anuais moderadas;
– Precipitação irregular, mais concentrada no inverno;
– A formação vegetal típica das regiões de clima mediterrâneo é a floresta mediterrânea. Quando a floresta desaparece dá origem ao maquis e ao garrigue.

Clima Temperado Marítimo
– Regiões entre 40º a 55º de latitude norte e sul, no litoral dos continentes;
– Quatro estações sem estação seca;
– Invernos com temperaturas médias;
– Verões pouco quentes;
– A formação vegetal típica das regiões de clima temperado marítimo é a floresta caducifólia.

Clima Temperado Continental
– Quatro estações;
– Invernos caracteristicamente muito frios com alguma precipitação (principalmente sob a forma de neve);
– Verões maioritariamente quentes com precipitação abundante (chuvas convectivas);
– Amplitudes térmicas anuais altas, sendo tanto maiores quanto mais afastadas do mar estiverem as terras;
– A formação vegetal típica das regiões de clima temperado continental é a pradaria.

Geografia 7.º ano – Climas pelo Mundo: Climas Quentes

Climas pelo Mundo: Climas Quentes

Clima Equatorial
– Uma estação quente e húmida;
– Temperaturas elevadas e constantes ao longo do ano Chuvas abundantes durante todo o ano;
– A formação vegetal típica das regiões de clima equatorial é a floresta equatorial, distribuída por patamares.

Clima Tropical Húmido
– Duas estações distintas;
– Estação das chuvas maior que estação seca;
– Temperaturas elevadas ao longo do ano;
– A formação vegetal típica das regiões de clima tropical húmido é a floresta tropical húmida, menos densa que a floresta equatorial.

Clima Tropical Seco
– Duas estações distintas;
– Estação seca maior que estação das chuvas;
– Temperaturas elevadas ao longo do ano;
– A formação vegetal típica das regiões de clima tropical seco é a floresta tropical seca onde aparecem árvores espaçadas como o embondeiro, as acácias e as mimosas.
– A savana é também característica destas regiões constituída por ervas muito altas.

Clima Desértico Quente
– Uma estação quente e seca;
– Temperaturas médias mensais elevadas;
– Amplitudes térmicas diurnas extremamente elevadas;
– Ausência de precipitação;
– Ventos fortes que produzem tempestades de areia;
– A formação vegetal típica das regiões de clima desértico é a Estepe e a vegetação xerófila. Onde existe bastante água formamse os oásis.

Geografia 10.º Ano – Mapa Hipsométrico de Portugal Continental, Madeira e Açores

Mapa Hipsométrico de Portugal Continental, Madeira e Açores